O ocaso dos blogs

“Sábado de madrugada, depois de dar comida pra Famiglia Gatto e checar minha mailbox, comecei a brincar com este blog. Deviam ser umas duas da manhã. Agora são quatro e tanto (vocês podem checar pela marca da hora, aí embaixo) e, finalmente, a coisa parece estar funcionando. Por que demorou tanto? Porque eu sou fresca e levei horas escolhendo um template legal e fazendo nele as modificações que me pareceram necessárias. Com o tempo, se eu tiver paciência — e talvez tenha — vou tentar incluir fotos e inventar outras gracinhas. Por enquanto, até para poder fazer uma avaliação legal do Blogger, estou trabalhando apenas com os recursos mais óbvios, e deixando este blog hospedado gratuitamente no Blogspot.”

Esta nota, publicada no dia 26 de agosto de 2001 sob o título “Este pode ser o começo de uma bela aventura”, foi o primeiro post do meu blog internetc. Eu havia experimentado outras soluções antes, quase engrenei com o LiveJournal, mas foi no Blogger que encontrei a ferramenta prática e amistosa que me permitiu tomar gosto pela coisa.

Criado em 1999, o Blogger ainda estava em pleno desenvolvimento. O permalink — o URL de cada post — havia sido lançado em 2000, e os sistemas de comentários ainda eram feitos, e hospedados, por voluntários abnegados; o Blogger só viria a ter um sistema próprio em 2004, depois de ter sido comprado pelo Google. Até lá, usei uma quantidade de sistemas diferentes, até que um colega blogueiro, Fabio Sampaio, me ofereceu uma vaga no seu excelente Falou e Disse, do qual tenho saudades até hoje.

Até 11 de setembro de 2001, os blogs eram considerados web brinquedinhos. Aí houve o ataque terrorista aos Estados Unidos. Enquanto os sites dos jornais e das emissoras de TV saíam do ar, derrubados pelo excesso de tráfego, os blogueiros nova iorquinos contavam ao mundo o que estava acontecendo. Depois disso, ninguém mais achou que o blog, como ferramenta, era bobagem.

Mas , de uns tempos para cá, os blogs vêm perdendo muita força. Seu lugar como ponto de encontro — “botequins virtuais” — vem sendo tomado pelo Facebook, onde todo mundo é, de certa forma, blogueiro — e todo mundo se esbarra automaticamente. Na época áurea dos blogs — aí por meados da década 2000-2010 — os blogs tinham listas dos blogs amigos, que visitávamos com maior ou menor assiduidade.

A blogosfera era mais singela e muito mais interessante, já que cada blog tinha o seu jeitinho particular de ser. Mas o mundo gira, a Lusitana roda e, mesmo com a pior interface da galáxia, o Facebook ganhou a parada, já que facilitou muito a interação entre quem escreve, quem lê e quem só quer marcar o local e o horário da próxima manifestação. Como todos os blogs, o internetc. também foi vítima da mídia social. As discussões vibrantes que aconteciam em suas caixas de comentários se transferiram para o Facebook, onde ganhou uma repercussão que nunca teve enquanto viveu solto no espaço.

No começo do ano, decidi acabar com o internetc., hoje hospedado no WordPress. Decidi também esperar até agosto, para que ele pudesse completar 12 anos. Foi uma boa ideia, porque pude pensar mais sobre o assunto. Não teria coração para matá-lo de vez, mesmo porque ele ainda tem seu uso: é ótimo como repositório de textos. De modo que resolvi mantê-lo no ar para republicar as colunas daqui do jornal e um ou outro texto solto, desabilitando, porém, as caixas de comentários. Ninguém consegue manter Twitter, Facebook e blog e ter, ao mesmo tempo, uma vida longe do computador.

Meu amigo Jean Boechat, outro blogueiro das antigas, comentava no Twitter, ainda outro dia:

“eu digo desde sempre. frase do @tonydemarco. eu tenho um blog morto que completará 13 anos, acho. haha.”

(O Globo, Economia, 3.8.2013)

Anúncios

10 respostas em “O ocaso dos blogs

  1. Pois comigo aconteceu o contrário; tomei horror ao Facebook, não apareço por lá há meses e continuo adorando “bons blogs”. Mas o povo anda abandonando-os e fico triste com os textos minguados… 😦

  2. Confesso que eu só vim parar aqui graças ao Facebook. A Fernanda Pompeu postou o link e eu fiquei curiosa para saber do que se tratava aquela imagem de uma “gata humana”. rs Acho que algumas pessoas estão equivocadas em relação ao uso do Facebook. Lá não é lugar para textos longos, mas as pessoas insistem em postá-los. É péssimo! A fonte e o espaçamento padrão do face não são adequados para a leitura. Diferente do facebook, os blogs são dotados de um arsenal de ferramentas para formatação do texto, inserção de imagens e vídeos em um mesmo texto. O face ainda não permite isso. Ou você coloca foto ou vídeo ou link, não todos aos mesmo tempo no mesmo espaço, salvo via comentário. Então eu acho que o face poderia ser utilizado pelo blogueiro como uma ferramenta de marketing para atrair ou para alertar os leitores do seu blog. Em vez de postar todo o texto lá, por que não postar uma “chamadinha”, um pequeno texto e o link para o mesmo no blog? Dessa forma o face se tornará um aliado e não um concorrente.

  3. triste.

    nunca gostei do facebook. ainda não gosto dele. parece-me um daqueles conjuntos habitacionais construídos pelo Paulo Maluf, sobretudo no que há de mais feio “nessas” cohabs.

    acho o facebook “grande” demais. sempre preferi a personalidade de cada blog. até os blogs mais ruinzinhos têm mais “face”.

    enfim, vamos em frente.

    um beijo agradecido por todos esses anos de companhia e amizade.

  4. O FB está engolindo os blogs, mas são tão diferentes, não? O Facebook é mais invasivo, o texto postado vai até todos os leitores, mesmo para os sem o menor interesse naquilo. Mistura-se com um lixo danado.
    A graça do blog é exatamente saber que estamos indo até aquele “botequim” – como diz a Cora- específico para conversar com aquele grupo de amigos…

  5. Eu entendo perfeitamente, Cora. Muitas vezes já tinha comentado no face – que fica aberto o dia inteiro e que acompanho praticamente o tempo todo – e vinha aqui pra não deixar de participar. RIP, internetc por sua conta conheci um montão de gente muito bacana, grandes amigos!

  6. Eu também tenho um bloguinho que não consigo alimentar. Você me consola… afinal, blog, email, facebook e ainda viver, fica difícil mesmo! Grande beijo!

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s