Uma historinha edificante

Deu-se, então, que eu me apaixonei pela saboneteira do Palais Medina: uma caixinha retangular de cerâmica vermelha muito linda, que ficaria um show no meu banheiro. Hoje de manhã, na hora de fechar a mala, liguei para o concierge, que me atendeu num francês estropiado:

— Eu queria comprar uma das duas saboneteiras do banheiro, é possível?

— Como assim, saboneteira?

— Aquela coisa em cima da pia, onde fica o sabonete, sabe qual?

— Ah, OK. Cem dirhans.

Fiz as contas: dez euros, algo em torno de 35 reais. Caro, mas em hotel chique nem água é barato. Topei. Peguei a saboneteira, empacotei com carinho e já ia guardando na mala quando bateram à porta. Era o concierge, com um saquinho plástico com alguns shampoos, hidratantes e sabonetes.

— Não, não. Nada disso.

Peguei o homem pela mão, levei pro banheiro e mostrei do que se tratava.

— Ah. Isso custa 300 dirhans.

— Ah, que pena. Muito caro.

Voltei pro quarto, e estava desembalando a saboneteira quando o homem voltou.

— 200 dirhans, último preço.

Olhei para a saboneteira. Tão bonitinha! Fechei.

— Pode me pagar direto, porque isso é administrado pelo meu departamento.

Paguei os dinheiros, empacotei a saboneteira de novo. E aí me bateu um vago sentimento de bolação. Pagar em espécie, sem recibo… era óbvio que o hotel nunca ia ver aquele dinheiro. Na melhor das hipóteses, a saboneteira seria dada por quebrada ou perdida; na pior, eu deixaria fama de ladra em Fez.

Não bom.

Quando fiz checkout, conferi a conta e comuniquei à funcionária que havia pago os 200 dinheiros da saboneteira diretamente ao concierge.

— Saboneteira? Concierge?

— Sim, a saboneteirinha que comprei de vocês.

— Perfeito, madame — respondeu a funcionária. Sua expressão, porém, dizia tudo, menos “perfeito, madame”.

Neste momento estou no trem para Rabat, pra lá da metade do caminho. A saboneteirinha vai comigo para o Brasil, onde chegará sã e salva se Alá for servido.

Enquanto isso, algo me diz que dois funcionários do Palais Medina estão se estranhando por conta dos 200 dirhans de uma hóspede otária.

Anúncios

Uma resposta em “Uma historinha edificante

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s