Flagrantes da vida real

Comprei duas armações de óculos em Miami, mas o tempo que passei na cidade não dava para que me fizessem as lentes. Há dias ando com as bichinhas na bolsa, à espera de um momento livre para dar um pulo até à Lunetterie, que é onde, há uns trinta anos, faço os meus óculos.

Ontem tive que ir ao cartório da Praça General Osório, e aproveitei para resolver um monte de miudezas do cotidiano ali pela área. E eis que, de repente, me peguei em frente às Óticas do Povo.

— Hmmmm… — pensei, me achando muito prática e eficiente. — Por que ir até a Lunetterie, lá em cima, se aqui as lentes vão custar a metade do preço?

A loja estava vazia. Entrei, fui prontamente atendida e a moça, muito simpática, ligou para o meu oftalmologista pedindo a receita das ditas lentes.

— Olha, dona Cora, essa aqui, que é multifocal, antireflexo e transition sai por uma fortuna. A outra, que é só multifocal e antireflexo, sai por um olho da cara.

Hein?! Uma fortuna e um olho da cara por dois míseros pares de lentes nas Óticas do Povo?! Como assim?!

— É que essa lente que a senhora usa é a melhor de todas. É fina, é leve, é…

— Tudo isso eu sei, ouço essa conversa desde que uso multifocais, mas aqui devia ser mais barato do que na Lunetterie, que não faz a menor questão de parecer estabelecimento popular. Pelo menos tem desconto à vista?

— Não, mas podemos parcelar em 12 vezes sem juros.

Doze prestações!!! Tirando carro e apartamento, nunca passei tanto tempo pagando alguma coisa. Eu devia ter me levantado e ido direto pra Lunetterie, onde o Everaldo provavelmente faria um preço menor, talvez apenas uma fortuna e meio olho da cara pelas duas. Mas as forças do choque e da inércia me seguraram.

Fui ao caixa. E o que aconteceu? O American Express não autorizou a minha compra! Lá fiquei eu com cara de tacho nas Óticas do Povo porque o meu cartão de crédito, que em tese não tem limite de gastos, decidiu que eu não podia gastar uma fortuna e um olho da cara em doze prestações.

Liguei para o SAC cuspindo marimbondo.

— Vocês estão me tirando do sério! Semana sim e outra também infernizam a minha vida! O que foi dessa vez?!

— A senhora desculpe, mas precisamos fazer algumas perguntas de segurança. O pagamento é por boleto ou débito em conta? A senhora tem cartões adicionais? Qual é o endereço de cobrança? Qual é o nome do seu pai? Qual foi a sua nota mais alta em matemática? Qual é CPF da sua avó?

Esclarecido o fato de que eu era eu mesma, perguntei por que cargas d’água a minha compra não havia sido autorizada. Ninguém pode fazer nada em relação a isso, esclareceu o atendente. O bloqueio é feito por um algoritmo, que leva em conta um conjunto de fatores: localização geográfica, padrão de compra, tipo de estabelecimento e assim por diante.

Em suma: o meu cartão, que é mais inteligente do que eu, sabia que pagar uma fortuna e um olho da cara em doze vezes nas Óticas do Povo era roubada.

Eu devia ter ouvido o oráculo. Em vez disso, desbloqueado o cartão, prossegui com a compra. A moça que me atendia era simpática, teve o trabalho de ligar pro dr. André Cechinel, como é que eu ia embora assim sem mais nem menos?

Pelo menos, pensei, eles têm volume e vão entregar bem rápido… Pois sim! Mesmas duas semanas de qualquer outra ótica.

Agora estou aqui torcendo para que, pelo menos, as lentes fiquem boas e façam jus à fortuna e ao olho da cara que me custaram.

Anúncios

13 respostas em “Flagrantes da vida real

  1. É sempre assim. Não existe milagre. Qto ao CC qdo sai do perfil, ele bloqueia – nada contra, é segurança

  2. Quando você contou que estava na General Osório, cheguei a pensar;-“Será que ela vai comprar no camelô que vende óculos em frente ao Zona Sul, minha Nossa?” Mas cabe aqui uma outra pergunta de leitora xereta ; você nunca usou/não se adaptou / nem pensou/ em lentes de contato,Cora? Palavra de usuária; bem , bem melhores que um par de óculos, viu…

  3. Fui olhar no site do Reclame Aqui e há uma reclamação genial: A cliente foi à loja e a vendedora disse-lhe que as lentes XYZ tinham visão de 360º. Eles amassaram o óculos, etc… Tudo terminou bem, mas o tal do 360º foi genial ! ( Sempre compro lá e é mais barato mesmo, mas depende da marca… A Carl Zeiss que estou usando estava mais cara do que na ótica do Leblon, “Departamento Ótico” …. )

  4. como eu disse lá no fb, também estou penando com óculos, só que no meu caso foi meio o inverso. sempre usei as óticas do povo e nunca fiquei exatamente satisfeito, aí, na minha atual mudança de grau procurei uma ótica pequena. como meu grau aumentou bastante, a atendente até me sugeriu umas lentes (de cujo material não me lembro) que custavam muito caro e são mais leves. optei pela mais barato, que, descobri depois, são muito pesadas *mesmo*, além do que a armação está me machucando no nariz, o que acho que tem a ver com o peso, mas também na orelha esquerda, o que não tem a ver com o peso. já voltei lá umas 2 vezes, e nada. como sou um mané, vou acabar gastando a fortuna que não quis gastar antes, porque está insuportável. estou, inclusive, usando os óculos antigos durante uma parte do tempo, até poder($) fazer novos.

  5. 12 X sem juros?!! Sem desconto se pagar à vista o mesmo valor?! Desonestidade atrás da outra! Nem nas do povo nem nas dazelite, eu diria. Mas…onde comprar sem ser lesado desse jeito?

      • É Corinha! Eu sou um previlegiado, porque compro as minhas (e óculos hiperleves), no meu primo Optometrista e dono de Opticas em Sesimbra, Portugal. O fulano é realmente competente, muitíssimo bem equipado de aparelhos para avaliação optométrica e receitar corretamente, além de te mandar para um bom oftalmologista caso encontre traços de alguma patologia. Ele e o filho também optometrista, são mestres a preparar as lentes e óculos. Não é barato, mesmo para primos, mas…:)

        • “Privilegiado” – sempre erro!
          Mas, como não existe bela sem senão, sempre fico meio de esguelha com o primo comerciante que insiste em não ter uma máquina de “multibanco” para se pagar com cartão de débito!!…

  6. Passou na Lunetterie pra verificar o quanto você ‘lucrou’ (ou não) na compra das lentes? Assim, estilo masoquista mesmo! Seria interessante para, quem sabe, nunca mais parcelar nada em 12 vezes “sem juros” (there’s no such a thing!) Sorte no resultado final!

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s