Enquanto isso, em Alcântara…

Minha leitora Virginia Coutinho mandou a foto do filho Otávio, médico e farmacêutico, 40 anos, no seu local de trabalho. Ele vive na capitania hereditária dos Sarney.

medico no maranhão

Anúncios

17 respostas em “Enquanto isso, em Alcântara…

  1. É de chorar… vergonha, vergonha, vergonha! Esses Sarneys e cia. nunca prestaram. Vejam, quando a filha Roseana fica doente (e ela já passou por dezenas de cirurgias e outros procedimentos médicos graves) o Sarney fica deseperado e aviões são fretados para trazê-la para os melhores centros médicos do país. Mesmo passando por tudo isso, ele e os seus, nunca se abalaram ou se sensibilizaram com o atendimento médico no Maranhão ou Amapá. Não é irônico?

  2. O consultório desse moço (abnegado) é tão tosco e rudimenar quanto aquele do médico que atende a protagonista do filme O caminho de Kandahar. E olha que aquilo é Afeganistão.
    Meus profundos respeitos ao Dr Otávio.

  3. Aquele papel higienico, se é que foi comprado pelo ministerio da saude, foi superfaturado e custou o dobro do preco praticado no mercado. O medico capaz de atender nessas condicoes merece medalha de ouro.

  4. sonho com o dia em que, por exemplo, médicos manifestem-se COM seus pacientes e EM SEU AMBIENTE DE TRABALHO. seria tão mais contundente se, em vez de vídeos mostrando gente fora do trabalho reclamando do mesmo em desfile na Avenida Paulista, aproveitando todo o poder viral da mesma rede, de toda parte, ao mesmo tempo, em bloco, todos os médicos e pacientes em hospitais e postos de saúde indignos de serem chamados assim, juntos, reunidos virtualmente, postassem seus vídeos em uma gigantesca marcha virtual que se replicasse em imagens irrefutáveis e, ao mesmo tempo, exemplos práticos do que mudar, tão práticos que guardassem em si, na prática, a solução simples desejada, sem que tudo se perdesse em discursos vagos, discussões evasivas, miríades de soluções rasas que passam sempre ao largo do que se pediu…

    esse sim seria um excelente uso da rede, a meu ver, bem melhor que na realização desses flash mobs que se inflam e desfazem muito mais rapidamente que quaisquer tentativas de solução ou entendimento, só para mostrar “força”.

    a rede permite muito mais do que o que anda sendo feito. tomara que as pessoas tenham coragem de utilizá-la coordenadamente para demonstrar mais “inteligência” do que “força”, mais “união” do que “reunião”.

      • Daniela Cristina Nacaratto:

        “Momento desabafo: estou de plantao num hospital do SUS e realmente começo a pensar se devo prestar vestibular de novo ou so estudar pra validar meu diploma em outro pais… Ah sim! País serio avalia os médicos que querem atender sua população….

        Como meus queridos colegas nao médicos desconhecem, boa parte dos formandos em medicina tem que se representar as forcas armadas. Eu fui voluntária e gostei muito, como vários amigos, porém muitos são obrigados a servir, mesmo tendo sido dispensados com 18 anos. É nao é so trabalhar como medico nao! Fazem serviço militar mesmo!!!

        Aí, uma corja que se elege baseado em migalhas que joga à população ( lê-se bolsa isso e bolsa aquilo) vem me dizer que eu sou preguiçosa pq quero morar em uma cidade onde posso dar estudo pros meuá filhos??? Onde posso correr atras de melhorias pra minha vida???

        O salário ridículo que a gente ganha do sus nao importa. Sim, é ridículo e eu continuo pq amo trabalhar com os alunos e residentes, quem me conhece sabe que o dia que eu nao tiver meus internos eu largo o plantao!
        Nao ter dipirona nao é problema, o problema é que eu sou preguiçosa…

        Qdo eu vejo que o povo desse pais realmente prefere ser enganado com esses medidas medíocres eu fico muito triste.

        O que resolve examinar um paciente, fazer o diagnostico clinico de pneumonia e nao ter antibiótico??? Eu nao estudei pra fazer diagnostico e ver as pessoas morrendo e depois dizer: ta vendo, era pneumonia mesmo…

        Também é pão e circo achar que obrigar alguem ir para qquer canto resolve o problema! Cada um tem uma formação diferente e experiências diferentes. Existem varias opções de tratamento para uma mesma doença. Se a cada ano uma pessoa diferente avaliar o mesmo paciente nunca teremos uma real avaliação de como o paciente evoluiu, pois muitas avaliações são subjetivas.

        Por fim, aos meu colegas da saude insatisfeitos com o ato medico, uma vez que a saude é interprofissional ( e nao multiprofissional, né) que tal tudo o que for implementado para os médicos também valer para enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionista, educadores físicos e afins?

        Amo são Paulo e nao vou pro interior nem por 1 milhão mensal! Nem interior desenvolvido! Mas conheço muitos que nao gostam dos grandes centros e iriam de bom grado se fosse para trabalhar, e nao em missão humanitária. Isso a gente deixa pros médicos sem fronteiras…”

      • Guilherme Rocha Melo (em Medicina Depressão):

        “ENSAIO DUPLO CEGO SOBRE A CEGUEIRA

        Tempos sombrios em que uma terrível epidemia assola o país. Atinge homens e mulheres de todas as idades. É deflagrada ao se ver um indivíduo de jaleco branco: neste momento o observador se torna possuído de uma raiva mortal, ódio irracional e vontade de agredir o ser que usa a vestimenta antes respeitada. Alguns dizem que é doença crônica, causada por muitos anos de descaso com a saúde pública. Outros dizem que é fenômeno agudo canalizado pelos movimentos sociais de rua. A doença atinge o sistema nervoso central e o indivíduo acometido começa a gritar palavras como: “mercenário”, “arrogante”, “tem mais que se ferrar” e outros termos de igual estirpe. Tornam-se impacientes. É enfermidade altamente contagiosa e se alastra toda vez que se assiste a um noticiário comprado pelo governo na televisão. Não é qualquer jaleco que transmite a doença. É o jaleco do médico. Esse tal de médico, ser nocivo aos olhos do governo e da população, também é cego. É cego porque vai trabalhar todos os dias em um ambiente insalubre e volta na manhã seguinte. É cego porque vê a sua profissão ser apagada ano após ano e jamais regulamentada . É cego porque seria punido se enxergasse a sangria que fazem com o SUS. É cego porque trabalha cada vez mais e pensa cada vez menos. Mas tem alguém que enxerga nessa história? O governo diz claramente que sim. Que não só enxerga muito bem como possui a vacina para a moléstia que assola o Brasil. Segundo este, o diabo veste branco e a culpa do seu sofrimento é do médico! De uma maneira nunca antes vista a mídia e a máquina governamental transformaram a maior insatisfação nacional (mais de 67% dos brasileiros reprovam a saúde) como culpa deste ser que vos escreve. Escarneceram a classe com salários ilusórios. De uma hora para outra todas as cidades do interior parecem pagar 30 mil reais e mesmo assim não ter médico algum. Meu caro…eu te digo com todas as letras que eu poderia enxergar: se essa cidade paga este salário e não tem profissional é porque lá é o INFERNO para trabalhar. Nunca entrevistam quem lá passou como médico. O foco é paciente sofrendo e a cadeira do consultório vazia (quando tem cadeira). Entre a cadeira vazia e o sofrimento do paciente há um mar de corrupção, há todo um esquema que não permite ao médico exercer medicina com dignidade naquela cidade. Ao mesmo tempo em que me sinto chateado ao saber que a cidade carece de médico, sinto orgulho por saber que meus colegas nem por um salário alto irão se propor a fazer má prática médica. Sim. Em um lugar desassistido a única coisa que irá fazer será benzer e perder o seu CRM por incompetência governamental. Não por acaso hoje anunciaram que já irão trazer indivíduos estrangeiros sem autorização dos CRM para essas regiões. Também colocaram o médico na coleira: 2 anos de trabalho forçado no serviço público ganhando bolsa. Sem direitos trabalhistas, reajuste anual, direito a férias e nem afastamento remunerado por doença. Em momento algum se falou na construção de carreira de médico de Estado nos moldes do judiciário e com piso FENAM (solução há muito defendida por todas as entidades médicas). Não é só um plano de desvalorização…é, sim, de desconstrução. Enquanto a presidenta anunciava as medidas, vozes gritavam ao microfone e salão: veta Dilma, veta, veta! Com aplausos. Era o pedido para vetar o ato médico. A presidência da república tem alguns dias para aprovar ou vetar essa medida. Se vetar, nós médicos seremos transformados em coisas. Isso é o pior que a cegueira pode causar. Como diria Saramago: “dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos”. Paciente: não se deixe contaminar pela cegueira branca. A maior parte dos médicos é de boa fé e sofre tanto quanto vocês com o descaso na saúde. Médicos e estudantes de Medicina: hora de arrancar o véu da inércia sobre os olhos. Há de se buscar apoio da sociedade, OAB, Conselhos e Instituições, movimentos das redes sociais e nas ruas. Há de se abrir os olhos pois não há colírio para a morte.”

  5. Chega a ser obsceno…ver alguém trabalhando em tais condições. Como falar em prevenção para os pacientes, em tais instalações? O Dr. Otávio não ‘opera’ com Medicina. Ele está em pleno exercício do seu sacro-ofício. E eu fico triste por ele, pelo Brasil, por todos nós.
    +++++++++
    ENQUANTO ISSO, NA ‘SALA DA JUSTIÇA’:
    “Na tarde de 4ª feira, Alves devolveu R$ 9.700 aos cofres da União, equivalente ao preço das passagens em avião de carreira para seus familiares. No entanto, levantamento da Folha aponta que o custo estimado do voo oficial é de R$ 158 mil.”

    • E o “outro”, que deveria estar cassado, foi de Alagoas à Bahia (Trancoso), também com avião da FAB, para assistir a um casamento e depois seguiu para Brasília. Conforme o próprio, ele estava “em serviço, representando o cargo que ocupa”. É cinismo puro! Ele disse tainda que, como presidente, é seu direito e que não pagaria absolutamente nada. Por que a tal presidentA não faz da FAB uma empresa de voos de carreira? Penso que até poderia dar lucro, pois nós pagaríamos…

  6. Fiquei em um misto de perplexidade e muita indignação.Quem aceita isso de bom grado?
    Dr. Otávio, parabéns por sua dedicação.

  7. Olha só a convocação do novo herói da Veja e dos jornalistas que pedem o foraDilma. Se não me engano, esse filme já foi rodado antes:
    10/07/2013 NO RIO E EM SÃO PAULO, A MARCHA DAS FAMÍLIAS CONVOCA A TODOS EM DEFESA DA VIDA, DA DEMOCRACIA E DA LIBERDADE.

  8. Como a Cora Ronai agora só escreve sobre os garotões classe média que migraram do Facebook para as ruas, pelo menos espero que esse tal de Maycon Freitas, que a Veja escolheu como herói da rapaziada tuiteira, não seja defendido aqui no blog.
    Veja algumas das sandices postadas no perfil do novo herói dos jornalistas que assinam a #foraDilma:
    “Marcelo Freixo, vai dar meia hora de cu com o relógio parado e chupar um canavial de rola, seu filho da puta. Direitos humanos é o caralho, seu FROUXOOOOO!!!!!!”
    “O Brasil é um “país de merda”, por este tipo de coisa, composto por um “povo de merda”.
    “E vai tomar no cu quem é a favor de direitos humanos”.
    “Bandido bom é bandido morto”.
    “Fora Dilma”

  9. Ando tão doida, mas tão doida com esses ladrões e falsários, que o bom senso me impede de fazer alguma observação sobre este fato. Ainda mais que divulgaram (pelo menos li somente hoje em jornais) que o presidente do Senado também foi, às nossas custas, em avião da FAB para a Bahia assistir a um casamento. Aqui é terra de ninguém!

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s