Cui prodest?

A quem interessa desmoralizar as manifestações? A mim, a vocês, às pessoas de bem que exigem um país melhor, em que se roube menos o dinheiro do povo e em que se respeite mais a sua vontade?

Acho que não.

A desmoralização das manifestações interessa à sarandalha que tem a perder com a impopularidade dos políticos e com o fim das boquinhas. Essa é a corja que está estimulando a violência, ainda que por omissão, e que torce para que, assustada, a população pacífica não volte às ruas.

Logo mais, dizem, tem manifestação em Copacabana.

Se tiver, eu vou.

Anúncios

19 respostas em “Cui prodest?

  1. Eu definitivamente não entendo mais nada.
    Ora a policia é dura demais, ora é leniente.
    Onde está a cabeça do comandante do batalhão daqui do Leblon que não vai lá na RUA, lugar onde os veículos transitam, onde aqueles garotos branquinhos e bem nutridos resolveram acampar e não acaba com esta palhaçada de uma vez ? ( Delfim Moreira )
    Quer acampar ? Acampe na areia. Acampe onde quiser, menos no meio da rua.
    Quer encher o saco do Sérgio Cabral ? Vai para o Palácio das Laranjeiras. Ele “deve” estar lá, pois depois que fez as pazes com a esposa, está morando lá.
    Alguém poderia me dizer por que a policia não desfaz esta palhaçada ?
    Onde está o poder publico que atira balas de borracha em quem está dentro de botequim bebendo cerveja ( está lá na coluna do Ancelmo Góis de hoje ) e não dispersa o pessoal que impede o direito de ir e vir ?

  2. Cora, voce foi nessa manifestação? Graças a Deus eu estava enganado, e pela primeira vez foi uma manifestação pacífica. Como é bom não ter razão, admitir um erro, baixar seu ego.
    Se voce foi nessa manifestação, agora acho que devia cair de cabeça. Voce encontrou pessoas que protestam pacificamente, junte-se a eles. Acampar com as pessoas em frente à rua do Sério Cabral. Passar um pouco de frio. Ter que pedir favor em uma loja para carregar a bateria do celular. Eu já fiz isso. Uma experiência que vale a pena ser vivida.
    E agora essa manifestação tinha uma pauta específica: contra a PEC 37. Quanta diferença! Se voce foi, voce e seus companheiros têm todo meu apoio, tanto pelo conteúdo quanto pela forma do protesto.

    • Bem-vindo à turma! As manifestações têm sido pacíficas sim\; a imensa maioria dos manifestantes é de paz. A falta de foco é normal, a lista de queixas é enorme, e está todo mundo aprendendo junto como se faz um protesto nos novos tempos.

      🙂

        • Parece que os animos se acalmaram com a brisa do mar. Mas se voce for ao centro amanhã e ver alguem mascarado ou cobrindo o rosto, avise logo a policia. Os mascarados seguem o velho estilo: saques, depredacoes, etc. Eles são os inimigos do povo.

  3. Apoio as manifestações com M maiúsculo! Infelizmente alguns tetam manchar a luz que emana de nosso povo, mas são poucos e não apagarão a luz da maioria. Parabéns Cora por seu depoimento.

  4. A respeito do vídeo que mostra a reação da vizinhança logo após o discurso da presidente (http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=2XNDlZDIbdY), comenta uma amiga francesa no Flickr:
    “C’est une revolte? Non Sire, c’est une révolution. Tel est lappel à la lucidité que le grand maître de la garde-robe adresse à un Louis XVI qui minimise les événements de la veille, un certain 14 juillet. (La Révolution Française, le lendemain les français prenaient la Bastille, symbôle du pouvoir Royal….)”

  5. Essa presidente não passa de uma marionete dos chefes Lula e Dirceu. Acredito até que ela possa ter boas intenções, mas se vê engessada por n motivos, quem sabe até motivos mais
    tenebrosos do que podemos imaginar. Não fosse assim não teria ido até o colo de Lula no dia seguinte às manifestações pedir “ajuda”. Enquanto houver esse governo comandado por controle remoto nada irá mudar até que as eleições ponham fim nessa corja. É em cima dessa idéia, a de substituir esse governo, que todos devem pensar.

  6. E eu também irei sempre que houver manifestação aqui em Petrô. Felizmente por aqui não houve violência, foi tudo na mais santa paz, com familias inteiras caminhando unidas, cantando o hino nacional, com cartazes relevantes, inclusive pedindo o fim do laudêmio, absurda taxa paga à família imperial (?) a cada transação imobiliária na região.

  7. Tbm sou a favor4 de manifestações, principalmente o acampamento em frente à casa do (des) Governador, desde que não haja violência e vandalismo. Por isso espero que tudo aconteça em paz. A cena mais triste que tive que presenciar foi o comércio de Copacabana sendo fechado às 17:00 de sexta-feira por absoluto MEDO ! Muito triste mesmo !

  8. Sou a favor das manifestações, mas sem vandalismo.

    E tenho uma pergunta que não quer calar.

    Quantas dessas pessoas que participam das manifestações não sonegam impostos? Não dão, por exemplo, nota fiscal quer como profissionais liberais, quer como pequenos ou grandes comerciantes? Quantos jogam lixo nas ruas, desrespeitam as leis de trânsito, pagam propinas a policiais para não serem multados etc, etc?

    Ok, o exemplo deve vir de cima, mas…

    • Contrariando a máxima de que “a ordem dos fatores não altera o produto”, invertamos esse treco e façamos com que o produto seja alterado pela ordem dos fatores. É só arrumarmos uma maneira de incidirem tributos, taxas e “et ceteras” apenas sobre o roubado,sonegado e desviado por “civis” e governantes, toda a Escandinávia caberia folgadamente no Estado de Alagoas(ou do Maranhão- né Sarney?). Se não entenderam o que pretendo dizer, juro, de pés juntos, que também não entendi “P” nenhuma.

      • A questão é a seguinte:

        Não acho que é porque os “lá de cima” roubam, que devemos roubar também.

        Acho que no Brasil o problema é cultural. Como sabemos, para a maioria dos brasileiros, é “esperto” quem engana, quem procura se dar bem, em relação ao outro, a qualquer preço. O “bonzinho”, aquele que procura agir de maneira correta, é chato ou é falso e merece ser sacaneado.

        Na época das manifestações das “Diretas já”, havia esse clima. O povo nas ruas querendo mudanças. Temos eleições diretas, mas não as mudanças que queríamos. A maioria dos “velhos” políticos foi substituída pelos “novos”, muitos deles que voltaram ao Brasil depois do exílio. As desigualdades sociais diminuíram? A corrupção nos governos diminuiu?

        Muitas das pessoas que participam das manifestações atualmente, um dia, vão estar “lá em cima”, como políticos, como representantes do povo. E vão levar sua cultura de que tem que ser “esperto” para se dar bem.

        E o ciclo recomeça.

        Sei que para chegar à sociedade ideal, devemos passar por um processo longo e, às vezes, lento. Hoje em dia, temos o direito de escolhermos nossos representantes, e isso é positivo. Temos o direito de nos manifestarmos nas ruas, e também isso é positivo. Mas temos que ter a consciência de que devemos mudar nossa maneira de pensar e de agir (sem “jeitinhos”), se quisermos que realmente haja mudanças concretas e eficazes no Brasil.

  9. Interessa a um presidente que se intitula faxineira ética cuja chefe da Casa Civil foi desmascarada em vergonhoso esquema de corrupção. Fala em transparencia mas não mostra a fatura do cartão de credito usado em beneficio proprio e pago pelo povo. Hipocritas. Se eu estivesee aí estaria na passeata também.

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s