Obras do metrô: socorro!

Obras na encosta

 

Esta é a vista que tenho dos aposentos dos fundos. Moro aqui há mais de 20 anos e vi como essa pequena floresta foi se formando e crescendo ao longo dos anos. Ela deu vida à pedra e é frequentada por micos e pássaros.

Agora está em perigo.

Há algumas semanas o morro vem passando por trabalhos de contenção de encostas por causa das obras do metrô. Nada contra, muito antes pelo contrário: já que vai se fazer uma saída do metrô aqui, que pelo menos as obras sejam feitas com cuidado e responsabilidade.

Mas essa turma, que está limpando a área de galhos mortos e de porcarias diversas jogadas pelos vizinhos (pois é!) também está arrancando arbustos com grande entusiasmo.

Estou morrendo de medo de que voltem com serras amanhã para “limpar” tudo. Infelizmente o governo do estado e a empresa que está construindo o metrô já deram amplas provas de que não têm o menor respeito pela natureza.

 

Anúncios

20 respostas em “Obras do metrô: socorro!

  1. Grosso modo: a raiz das plantinhas segura a terra sobre as pedras. Como se sabe. Caso de 90% das encostas do Rio de Janeiro.
    Mas, se aprofundar e crescer demais, como em AngkorWat corremos o risco de cizallhar as ditas cujas.
    Deve-se pelar algumas, então e, suponho, preservar outras.
    Nenhum maluco pensaria em desbastar todos os morros do Rio de Janeiro. Espero. Meu atelier fica numa encosta, por exemplo. Belíssima e preservada: já chamamos dois peritos e o muro de arrimo está OK.
    Vamos torcer para o caso ser de “outras” e as plantinhas sobreviverem, mas, por mais que aprecie árvores, neste seu caso específico, a segurança é o fundamental.

    Boa sorte, dê notícias.

  2. Cora,

    dei uma pesquisada sobre o assunto para postar aqui e me sinto na obrigação de dizer que o Strix Flamea está certíssimo. Eu sou engenheira e estudei Mecânica dos Solos. Uma coisa é a preservação ambiental, outra, bastante séria também, é o intemperismo, ou seja, “Intemperismo é a alteração química e física das rochas devido a processos exógenos, podendo ser de responsabilidade fatores: químicos, físicos e biológicos.”
    “Plantas como agentes de intemperismo mecânico:
    Um outro tipo de intemperismo físico que pode ocorrer numa rocha é o intemperismo com as plantas como agentes. Na ação de separação ou efeito de cunha das raízes das plantas, principalmente das árvores, é comum o intemperismo mecânico sobre as rochas.
    “Esta expansão gera uma pressão sobre a rocha que podem seguir profundamente entre as diáclases e penetrando na rocha “fresca” exercendo pressão e causando fraturas.””
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA_SUAD/intemperis

    Com certeza, é melhor arrancar os arbustos antes que as raízes cresçam desordenadamente e provoquem imensas rachaduras na rocha. Aí sim, o mal será muito maior. Não sei qual foi a orientação dada pelo Metrô ao pessoal que está trabalhando aí atrás, mas acredito que tenha sido a de retirar as plantas também. E é o que deve ser feito.

    Abraços,
    Denise Miranda

    • Eu não sou engenheiro nem estudei a mecanica dos solos mas sempre achei que a vegetação ajudasse a previnir a erosão do solo que reveste aquela encosta.

      • É justamente o contrário, mtemporal. Com todo o respeito, você estava “achando” de forma errada, É por essas e outras que se estuda a Mecânica dos Solos. Dá uma lida rápida sobre intemperismo no Google mesmo e acredito que você mude a sua impressão.. Abraços, Denise

    • E, note Denise, aquela “quadra de amarelinha” é feita de concreto , certamente para interligar os pontões de aço que foram chumbados na rocha por já se apresentar fragmentada e instável. Qualquer vegetal que emita/introduza suas raízes entre o reforço de cimento e a rocha logo romperia o “amarelinha” e viria tudo abaixo. Mas a Cora tem outras fotos que mostram o serviço feito com perfuratrizes/rompedores fazendo furos onde estão sendo introduzidos vergalhões de aço com extremidades retorcidas que certamente serão interligados com novos reforços de concreto. Ah! chega né?

  3. Péra aí, moçada. Calma tá?
    As obras de estabilização da encosta consiste(no caso) em inserir grampos na rocha e, para tanto, é necessária a remoção da cobertura vegetal.Apelem ao Seu Google e vejam aqueles templos e outras construções antigos lá prôs lados da Tailândia e redondezas tomados pelas raizes de árvores.
    Como se pode notar, uma raiz de um vegetal, penetrando em uma rachadura/fenda da rocha, a procura de nutrientes que alí se depositam, é capaz, com seu crescimento e consequente expansão, a deslocar pesos e volumes inimagináveis. Se continuar, esse treco (tentativa de explicar) vai ficar maior que minha sólida ignorância. Portanto, pesquisem o Seu Google e vejam alguma coisa sobre a estabilização de encostas, principalmente rochosas, como é o caso.
    Sei, vai fechar o pau “em riba” do Strix. Tô acostumado.

  4. Estou apavorada por você! Inicie um movimento e conclame o povo daí. Esses governos não têm a mínima capacidade de administrar e de ter discernimento. O que interessa para os politiqueiros (a começar no Planalto) é o apoio de partidos para tentar a reeleição e cada qual ministro – que nada entende do “riscado” – nomeia outros tantos que sequer sabem o que terão de fazer. Este Brasil está virando um verdadeiro palanque durante os 365 dias do ano. É uma vergonha, mesmo! Se ficarmos calados, seremos coniventes com os desmandos. Haja vista, hoje, o embargo do Engenhão daí.

  5. jesusmariajose, isso tem tudo pra não dar certo… sem a mínima chance de não dar errado. Essa ‘obra’ está sendo acompanhada pela Geotécnica? É esse o Órgão responsável por obras nas encostas?

  6. Zarabatana.
    Estilingue (desde que não percam o equilíbrio)
    Ou, o seu charme: a única arma poderosa e feminina capaz de funcionar, de maneira verdadeiramente eficaz, indolor e rápida para salvar da destruição, em meio à selva burocrática, este lindo pedacinho da natureza carioca.

    *** e o Lucas, ehm?

  7. o tal desenvolvimento sustentável é só um conceito muito, muito abstrato. não entra no projeto. o caminho é ficar de olho e, como disse a Marise, juntar muitos olhos ao trabalho, na tentativa de que não façam o que quiserem, como bem entenderem, sem respeito nenhum. boa sorte.

  8. Sergio Cabral e Eduardo Paes, onde esta a etica com a coosa publica? Somos cidadaos!

    Cora, conclamo a irmos para as ruas do Rio protestar contra as obras, como estao sendo feitas …
    So escrever nao adianta!

  9. Cora, junta gente, faz um escândalo, não deixe que isso aconteça. Depois que tiverem acabado não vai mais adiantar. Será que seus vizinhos não se mobilizariam junto com você? Torço pelo melhor. Valorizo muito as matas por aqui e adoro as visitas desses animaizinhos silvestres.

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s