Notícias da Famiglia Gatto

Um dia, aí pelo fim do ano passado, a Jandira ligou de Friburgo dizendo que perto da sua casa haviam nascido três gatinhos pretos de olhos azuis. Todos na vizinhança estavam impressionados com a beleza dos bichinhos. Ela havia conseguido um para mim. Eu queria?

O que é que se responde a uma oferta dessas, ainda mais acompanhada da foto de um bebezinho fofo? Sim, claro que queria. Mamãe viu a foto e sugeriu o nome perfeito: Sinatra. E foi assim que a Famiglia Gatto ganhou mais um membro. Era preciso esperar, porém, que ele desmamasse, e que houvesse alguém vindo de Friburgo para trazê-lo.

O tempo passou. Sinatra desmamou, veio para o Rio quando eu estava no Egito e ficou hospedado na casa da minha irmã, tentando conquistar Britney, Justin e Jack, os gatos da Manoela. Liguei para saber dele.

— É muito bonitinho e muito valente — disse a Laura. — Saiu da caixa de transporte e encarou os grandões sem o menor medo, pisando como se a casa fosse sua. Os três bobalhões é que estão apavorados com ele! Só tem um detalhe: ele tem os olhinhos amarelos feito qualquer pretinho básico.

— Uma propaganda enganosa?

— Com certeza! A Jandira diz que os olhinhos mudaram de cor, mas ninguém nos avisou disso…

Bem que eu tinha desconfiado! Nunca soube de gatos pretos adultos com olhos azuis. No mundo felino, cores estão ligadas a genes, e a pelagem preta é incompatível com olhos azuis. Eventuais pretinhos de olhos azuis têm, obrigatoriamente, um pouco de branco, coisa que o Sinatra não parecia ter em nenhuma das fotos.

Mas como estávamos adotando um gato e não um par de olhos, o gatinho ficou. E ficou como Sinatra mesmo, porque, afinal, este é um ótimo nome para um  gato. Ele ainda não veio para casa. É que, quando voltei, Old Man Lucas, o siamês velhinho, único remanescente da primeira configuração da Famiglia, não estava nada bem. Seus rins já estão meio baleados. Além disso, teve uma infecção urinária, uma giardíase braba e estava pele e osso. Não podia submeter bicho tão doente ao desaforo de um gato novo.

o O o

Lucas foi comprado na rua há quinze anos pelo Chico, amigo da Laura, que estava com ratos no apartamento térreo. Custou trinta reais. Era um filhote minúsculo, muito menor do que os ratos que deveria caçar. Uma semana depois, o Chico saiu em turnê pelo Brasil e largou o bichinho na  Laura. Foi lá que o encontrei, magérrimo, vomitando, intoxicado pela dedetização da cozinha. Decidi que nem o Chico nem a Laura estavam preparados para cuidar de gatos, e peguei o siamesinho para mim.

Lucas sempre foi um gato muito criativo. Seu hobby, quando criança, era roubar as esponjas da pia da cozinha e escondê-las nos lugares mais improváveis. Às vezes tínhamos cinco ou seis esponjas em serviço e nenhuma à vista de ninguém. Às vezes — sobretudo quando recebíamos visitas — duas ou três esponjas apareciam misteriosamente no sofá. E, às vezes, ele saía pelo corredor nas duas patas traseiras, sambando e jogando uma esponja para o alto, como se estivesse caçando alguma coisa voadora.

Quando ficou mais velho se deu conta do ridículo e parou com a brincadeira. Criou ares de imperador mas, para que a vaidade não lhe subisse demais à cabeça, eu fazia questão de lembrá-lo das suas origens humildes:

— Sabe quanto vales? Trinta reais! Uma besteira. Já os outros não têm preço…

A certa altura, como seria de se esperar, desafiou a Keaton pelo posto de gato alfa. A situação ficou mal parada durante meses: os dois se encaravam e  miavam impropérios um para o outro. Uma noite, cheguei do jornal e ele me recebeu na porta, aos berros, com a orelha cortada e a pata ferida. A sala parecia um galinheiro, com tufos de pelos espalhados e marcas  de sangue pelo chão. Segui a trilha e encontrei Keaton embaixo da cama, prostrada, com uma unha arrancada e um corte enorme na barriga.

Fiquei desesperada. Tinha o telefone de uma veterinária francesa que vinha em casa. Liguei. A mulher fumou meia carteira de cigarros nos quarenta minutos que passou com eles e quase os matou sufocados, mas fez curativos nos dois e me tranquilizou, garantindo que o incidente não se repetiria. E, dito e feito, nunca mais Lucas e Keaton chegaram às vias de fato, ainda que tenham passado anos se detestando cordialmente. Deixei de me preocupar de vez quando entendi que aquilo era uma ocupação para eles.  Quando a Quitinha morreu, Lucas entrou em depressão e quase foi junto.

o O o

Faz duas semanas que Lucas luta pela sua vidinha. Escrevo  isso na terça à noite; ontem, pela primeira vez, ele apresentou alguma melhora. Saiu da salinha de vídeo, para onde se recolhera, e voltou a andar pela casa.  Voltou também a miar reclamando do mundo: a voz está alta e forte, como convém a um siamês de respeito.

A luta ainda não foi vencida. Ele precisa voltar a se alimentar sozinho e recuperar pelo menos parte do peso perdido; mas agora já tenho esperança de que o meu véinho vai sair dessa.

Quanto ao Sinatra, está tão entrosado com a turminha da Laura que há uma forte possibilidade de que acabe incorporado ao ramo Botafogo da Famiglia. O tempo dirá.

(O Globo, Segundo Caderno, 21.3.2013) 

Anúncios

21 respostas em “Notícias da Famiglia Gatto

  1. Seus textos são maravilhosos, Cora, mas quando você escreve sobre gatos eu os leio sorrindo. Fico imensamente feliz com a melhora do Lucas. Hoje esteve na loja uma gatinha, clientinha, que completou 20 aninos de vida. Postei foto dela. Beijei muiiito.
    Quero isso pro Lucas, também… beijá-lo nos seus 20 aninhos!

  2. Lindo texto Cora. Acho que todo mundo que tem um gatinho no coraçāo, se identifica muito com ele. Torcendo muito pelo Lucas.

  3. Boa, sô Lucas! Se já anda pela casa, se já mia alto, então, já só falta comer que nem um abade. Fico à espera dessa etapa.
    Turrinhas amigas.

  4. Cora, que crônica linda. Fiquei com meus olhos cheios d’água…
    Fico aqui, desde sempre, na torcida de fé e positivismo para o Lucas recuperar-se.

  5. Cora, que delícia ler este texto. Eu também acho que o Sinatra vai acabar ficando com a sua irmã… será? Já se adaptou por lá!
    Eu acredito que o Lucas pode se recuperar. Estou na torcida com pensamentos positivos. Há alguns anos um veterinário me disse que o a/d era o melhor recuperador para animais que não querem comer, pois conseguimos “empurrar” um pouco pela boca e um tiquinho já alimenta muito. Ele chamou este alimento de “levanta cadáver”… e com isso aos poucos o apetite acaba voltando devagar. Assim sendo, torço muito para que o Lucas volte a se alimentar por livre e espontânea vontade. Descobri muito recentemente que os gatos adoram aquele “filé de peito de frango cozido e desfiado” da Rica. É um pacotinho verde congelado de 400 g. Eu corto ainda congelado e coloco em potinhos pequenos para descongelar um pouco de cada vez e o gato que estava sem apetite voltou a comer e este é um dos alimentos que ele mais gostou.

  6. Espero que o Lucas melhore e tudo volte à normalidade na sua casa. Muito ruim ver um bichinho doente.
    Gostaria muito de ver as fotos do Sinatra. Gatos pretos com olhos amarelos são lindos demais!
    Ontem passei (de ônibus) pelo Parque do Flamengo e um tico de gato preto (deve ter sido abandonado naquela hora) estava correndo em direção ao trânsito. O guarda nem fez menção de ajudar o pequeno. Fiquei sem coragem de saltar do ônibus, atravessar as duas ruas e me deparar com uma fatalidade. Estragou minha noite.
    bjs

  7. Olá Cora, tenho um siamês chamado Freddy (14anos) que esteve muito doente , ele é portador de hipertireodismo e alérgico a medicação. Ficou muito magrinho e fraco, quando comecei a alimentá-lo com A/d da still ( recomendação da veterinária) ele recuperou o peso e voltou a ser o que era. Fica aqui a dica, esta pastinha de proteína é realmente fantástica, quem sabe pode ajudar o Lucas.

  8. Seu amor é comovente. Toda vez que eu leio algo a respeito dos seus gatos, fico imaginando quando poderei ter os meus…Um abraço!!!

  9. O Titiko era pretinho e também tinha olhos azuis qdo a Maria Fernanda Lacombe trouxe para minha casa, hoje é fumée( chic né?)com olhos verdes e, que os outros não me ouçam, a minha paixão, como era a Keaton pra vc É extremamente carinhoso e ciumento e só agora começou a suportar o meu canalha amarelo, que diga-se de passagem, é um capetinha.
    Continuo na torcida pelo Lucas e acho que o Sinatra vai mesmo cantar em outra freguesia …

  10. Sorte a sua que os seus resolveram conviver pacificamente. 🙂 Temos um gatinho q implica e briga feio com as minhas 2 fêmeas. Já tentamos de tudo e nada resolve. Não podemos nem deixá-los juntos no mesmo ambiente. O mais estranho é que ele se dá super bem com os outros machos. Sigo aqui torcendo muito para a rápida recuperação do Lucas!

  11. Querida Cora, gostaria tanto de saber colocar no papel as histórias de meu Gato Odin e meu Beagle Thor. eles são muito especiais, brigam e se amam o dia todo. O Odin foi atropelado, não sabemos qual a idade dele, encontramos dia 19-10-2012, fez cirurgia e ficou cego de um olho, com a boquinha torta e um dente para fora, o qual fura tudo. O Thor foi oferecido por 1300 reais mas foi diminuindo e comprei por 400 por ele ter o rabinho quebrado e estar muito judiado. Mas agora quem me vendeu disse que ele é o mais lindo e forte da ninhada . Ele já me deu uma rasteira cinematográfica, peso 85 kg e ele me arrasta. todo sábado ao leva-lo para tomar banho, já sou conhecida como a velha voadora da rua 33. Acho até que já há público nos esperando, pois sempre encontro as mesmas pessoas e a mesma frase: cuidado ele vai te derrubar. Todos os dias eu acordo com uma lambida nas bochechas. O Odin só bebe água na torneira, as 5 hs da manhã começa miar para alguém abrir uma torneira pra ele. Não posso imaginar viver sem esses bichinhos. Acho q vc não terá tempo para ler essas bobeiras mas gostei de escrever. Bjs Dalva
    PS: me sinto sua irmã gêmea, adoro ler, tenho livros espalhados pela casa toda. Adoro bolsa grande. Comprei uma calça da GAP só por causa da historia de seu acidente, só não tive N95, mas todo tipo de celular bom já tive, só tive um i phone (odeio o i tunes) só uso Samsung (tablet, smart e ultrabook). Desde o lançamento de um S algum n° que eu ainda não tenha eu começo ficar infeliz.

  12. Ler o que você escreve, e a maneira que vc escreve, é uma verdadeira delicia. Eu me vi em sua casa acompanhando tudo isto.

  13. Eu já estava desconfiada que o Sinatra tinha mudado de bairro, Cora. O próximo gato preto de olhos azuis será seu. Quanto ao Lucas, continuamos todos com as patinhas cruzadas por ele. O Muffin, meu sialata, sempre foi de boa paz e aceitou todos os que vieram depois dele, e foram vários. Mesmos quando o Miau, aquele ruivo lindo que iluminou a minha casa por pouco mais de um ano e que nos adotou, chegou já adulto, Muffin o recebeu sem animosidade alguma. Assim foi com os bbs Mai Tai e Misty e com a mãezinha grávida Mishiko. 😉

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s