Ainda a Amazon

Falei ontem à noite com Alex Szapiro, presidente da Amazon no Brasil. Foi uma conversa interessante, que serviu para esclarecer algumas dúvidas que eu tinha.

Ele manifestou até mais surpresa do que eu pelo custo absurdo do frete que recebi ontem. Ao contrário do que eu supunha, não há ligação entre este custo e a vinda da Amazon para o Brasil. Há, sim, alguma coisa muito errada nos cálculos, que ele prometeu investigar.

Assim que eu souber o que aconteceu — e assim que o preço do frete voltar a níveis razoáveis — contarei para vocês.

Aproveitei para perguntar o que acontece com a conta de um usuário que aceite transferi-la para o Brasil, como propõe a página brasileira quando a abrimos. Ele poderá continuar a usar a Amazon.com?

A resposta é sim. Tudo o que ele comprava na Amazon.com poderá continuar comprando. A única coisa que perde são assinaturas de revistas e jornais para tablets. Nesse caso, a Amazon devolve a quantia correspondente aos exemplares não entregues.

Por outro lado, a compra de e-books pela loja brasileira é vantajosa. Nela podem ser encontrados todos os títulos disponíveis na loja americana, a preços em reais. Isso significa que o custo fica livre de IOF e das taxas de conversão dos cartões de crédito.

Em suma: se você é assinante de periódicos, não vale a pena transferir a sua conta; se o seu negócio é comprar e-books, vale.

Quanto a mim, vou esperar para ver o que acontece. Se o custo do frete voltar ao normal, a Amazon.com estará perdoada e reatarei nossa velha relação.

Anúncios

10 respostas em “Ainda a Amazon

  1. outro ponto importante… Se a IPARCEL não tem empresa courier no Brasil ( credenciada pela alfandega ) , quem libera para eles ? os correios ?
    abs a todos.

  2. Essa história da Amazon “consumer centric” acho que é coisa do passado. Passei mais de um ano reclamando com eles por não disponibilizaram a app do Kindle para o wimdowsphone 7 e não davam nem resposta. Nem o Widman, que é o responsável pelo gerenciamento de conteúdo daqui, nem de Seattle. Só uma vez puseram a culpa na própria Windows (a app estava disponível para aparelhos comprados e usados nos EUA e Europa). Quanto aos preços daqui, já constatei algumas vezes que, mesmo contando com o IOF no cartão, os preços americanos eram mais baixos. E já surpreendi também preços da Kobo mais baixos que os da Amazon, tanto a americana quanto a brasileira.
    Fico muito atenta à Amazon, até porque acompanho profissionalmente o mercado editorial, e acho que muita água ainda vai rolar por aí.

  3. Eis as minhas tribulações com a Amazon (espero que chegue aos ouvidos do Alex Szapiro):

    Sou cliente antigo, com mais de 750 ítens comprados, e nunca tive nenhum problema (as raríssimas encomendas perdidas eram repostas; e, a critério da Receita Federal por amostragem, algumas encomendas não-livros [CDs, DVDs e BluRay] eu pagava a taxa de importação [60% preço+frete] na agência dos Correios e pronto).

    Sempre optei pelo ‘Standard International Shipment’, com o frete mais barato e não me importava com a espera (fiz uma planilha, para acompanhar os pedidos)

    A partir de Agosto/2012 começaram os problemas:

    – surgiu a cobrança de um extorsivo ‘Import Fee Deposit’, muito superior ao que eu pagaria aqui nos Correios; não sei que diabos de cálculos fizeram…

    – Mesmo optando pelo ‘Standard International Shipment’, unilateralmente, a transportadora passou a ser a iParcel, um empresa de courier que somente dá prosseguimento no envio quando fornecemos o CPF (obs.: nenhum outro courier [FedEx, DHL etc.] solicita CPF). Eu me recusava e as mercadorias eram devolvidas à Amazon. Tentei mais uma vez e, novamente, caí na iParcel e as encomendas foram devolvidas. Desisti

    Ou seja, de um momento para o outro, acabou a opção de envio pelo Correio Comum. A transportadora escolhida, abusivamente, exige a apresentação de identidade adicional (CPF). E passaram a cobrar um despropositado ‘Import Fee Deposit’. Tudo isso resultando em absurdos Preços Finais.

    Obs.: já comprei sapatos na ‘Endless’ (filial de sapatos agora incorporada à Amazon) e, sem problemas: sabia que a única opção de transportadora era o courier (e os sapatos chegaram três a cinco dias depois!), sabia que teria que pagar um ‘Import Fee Deposit’ (que, mais tarde foi estornado!). E não precisei fornecer meu CPF; melhor: não tive contato algum com a transportadora, a função dela era pegar a encomenda e entregar-me, sem burocracias adicionais.

    Mas meus livros e filmes na Amazon deixaram de ser enviados como sempre foram. E assim acabou uma das minhas maiores alegrias na vida (encomendar livros, CDs e filmes)

    Pena… 😦

    ps: recemtememte, divulgaram que a cópia digital de todos os CDs comprados na Amazon estaria disponível aos clientes. Num mal trabalho jornalístico, só esqueceram de apurar e esclarecer que tal generosidade era exclusiva dos clientes americanos.

    • bom dia… desculpa comentar, mas acho importante…
      é obrigatorio por lei, toda empresa de courier apresentar o CPF do destinatario na alfandega, mesmo que seja encomenda não tributavel.
      A alfandega ( como toda burocracia no brasil ) existe que os impostos sejam cobrados junto com o frete …
      Para simplificar, se em algum momento nao pediram CPF ou nao cobraram II somando o frete, foi mesmo sorte , porque quando a alfandega visualiza isso , automaticamente cobra da empresa courier as informacoes faltantes e diferencas de impostos.
      att.
      rogerio

  4. transferi logo a minha conta e não tive nenhum problema. tinha uma assinatura da time, mas lia tão pouco, que achei melhor cancelar. espero que o lance do frete seja esclarecido. como sempre me trataram bem, inclusive fizeram a reposição de um kindle danificado única e exclusivamente por descuido meu, continuo confiando neles.
    []’s

  5. meu kindle comprado nos eua sempre recebeu livros comprados aqui, na amazon de lá, zero problema, inclusive em lugares onde o fixo e o celular estavam mortos.

  6. Tomara mesmo que esse lance do frete seja revisto! Hoje fui tentar fazer uma compra de livros e um livro de 20 dólares teria um frete de 75 reais. Ansiosa pelas respostas!

  7. Cerca de 5% dos livros da amazon americana não são vendidos na amazon brasileira, por questões de direitos e acordos entre agentes e editoras brasileiras. Ainda acho que vale ficar na gringa.

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s