Vamos salvar o Icaraí!

Mamãe, que é do modelo antigo, e europeu ainda por cima, não se queixa. Ao contrário, aceita com notável estoicismo os contratempos da idade, as agruras do cotidiano e as safadezas do poder. Mas, de uns tempos para cá, tem reclamado do Guanabara, onde treina sua natação – sinal de que as coisas andam feias de verdade no clube. No começo do mês, quando aquele frio inesperado pegou o Rio de mau jeito, teve um ataque sério de hipotermia. Saiu da água batendo queixo e horas depois ainda tremia. O pior, diz ela, é que, com isso, não consegue nadar os dois quilômetros de hábito.

— Mas a piscina não era aquecida? – perguntei.

— Disse bem: era. Deixou de ser.

— E o que eles dizem?

— Que sai muito caro manter o aquecimento, e que eles não têm dinheiro. Pelo menos são sinceros. O clube está caindo aos pedaços! Pena que não posso fazer uma foto do vestiário, você ia ficar muito impressionada se visse o estado em que aquilo se encontra. Os chuveiros foram estragando um a um. Agora há um único chuveiro quente funcionando, sabe-se lá por quanto tempo. A política da diretoria tem sido deixar as coisas quebradas como estão, um sucateamento total. Só não digo que ninguém toma nenhuma providência porque, quando o bebedouro da área da piscina quebrou, logo desmontaram e levaram embora.

— Por que você não passou a nadar no Botafogo?

— Porque as coisas lá também estão mal paradas. A piscina olímpica está vazia há quase um ano, os nadadores têm vindo treinar no Guanabara.

— Por que esvaziaram?

— É uma longa história. Fizeram uma grande reforma na piscina. Durante as obras, os atletas passaram a treinar no Guanabara, mas mal viam a hora da reinauguração do parque aquático deles. Nesse ínterim, o subsolo do clube, onde antes ficava o estacionamento, foi alugado para uma churrascaria chique. Finalmente, a piscina ficou pronta. E logo começou a vazar, pingando em cima dos clientes da churrascaria, que pediu a sua interdição. De modo que a piscina foi esvaziada. Parece que agora começaram a encher para fazer novos testes, vamos ver. Mas a situação de quem quer nadar não anda nada fácil.

— Ah, pois é: e o Maria Lenk, a quantas anda?

— O Maria Lenk é uma piada de mau gosto! Só estive lá duas vezes, a primeira e a última. Quando aquele Cesar Maia inaugurou o complexo, alugou tudo o que não era piscina. Passado o Pan, os donos do equipamento alugado levaram as suas coisas embora – cadeiras, ganchos, armários, tudo. Depois da competição, tivemos que tomar banho aos pares: enquanto uma usava o chuveiro, outra segurava a sua toalha e as suas roupas para que não se molhassem, fazendo papel de cabide. A única coisa que existe lá em abundância é mosquito. É muito descaso!

— No último Campeonato Brasileiro de Masters também rolou um estresse desses, não foi?

— Mais ou menos, mas a situação era diferente. São Luis é uma cidade tão maltratada que, para realizar o campeonato lá, o pessoal teve que pedir emprestado o parque aquático de uma empresa. Um belo parque aquático, por sinal, e muito louvável para um empreendimento particular, mas sem as dimensões necessárias para abrigar um evento do porte de um campeonato nacional, em que quase 500 atletas disputam quase duas mil provas… E a gente ainda pensa em ganhar medalha nas Olimpíadas!

Enquanto isso, o Icaraí — clube por cuja equipe Mamãe compete – ameaça sumir do mapa, aos 117 anos, vítima da especulação imobiliária. O clube, que está atolado em dívidas, e que ocupa uma área de 8.500 m² bem em frente à praia do mesmo nome, virou sonho de consumo das empreiteiras. A primeira oferta feita à direção foi de R$ 40 milhões, mas os sócios estimam que este valor pode dobrar. O que se comenta nas internas é que o reduzido número de sócios proprietários propiciaria uma grande maracutaia ou, como se diz hoje, um grande malfeito, já que o precioso terreno foi doado pelo governo ao clube nos idos de 1935, e que o decreto de doação prevê que, se o Icaraí deixar de funcionar, tudo – terreno e benfeitorias – reverte ao patrimônio do estado. Todos estão revoltados com a perspectiva de ver o último reduto do esporte amador em Niterói se transformar numa plantação de espigões, e pedem à população em geral que, por favor, assine a petição em que pleiteiam o seu tombamento (link em bit.ly/Kurw2c).

o O o

Eu sei, eu sei – a foto de hoje não tem nada a ver com natação (ver foto do post anterior!). Mas é que fui à apresentação da nova coleção da Roberta Sudbrack, subi fotos de todos os pratos direto do iPhone para o Instagram, e resolvi fazer essa montagem para mostrar aqui, também, um pouco das maravilhas que ela criou. Roberta, que tem um talento sem igual para juntar ingredientes inusitados, fez uma festa deliciosa salpicada de sabores exóticos: licuri, jambu, piracuí, cará… Meu personagem favorito foi o aviú, micro-camarãozinho do Amazonas que, na foto, está ao lado de um garfo: que bichinho bom! Sou fã declarada de Roberta Sudbrack mas, mais do que isso, sou grata à nossa chef com alma de artista, que ao longo dos anos me fez descobrir tanto Brasil.

(O Globo, Segundo Caderno, 31.5.2012)

Anúncios

39 respostas em “Vamos salvar o Icaraí!

  1. Últimas notícias Botafoguenses: mamãe foi hoje lá competir e voltou encantada com o resultado da reformas. Ela diz que a piscina ficou ótima, mesmo! Que bom, não é?

  2. Cora, querida… Venho aproveitar deste espaço para falar de mais um problema de sua cidade. Transcrevo aqui desabafo de uma amiga, postado no facebook, em nosso grupo do AVC. ´E de: marciahpereira@gmail.com

    “Marciah Gomes Pereira
    Nao gosto e nem reclamo da minha vida, pois estar casada com um deficiente físico é uma opçao minha e de mais ninguém, mas nao posso me calar diante de absurdos que nao prejudicam só a mim ou a ele, mas sim a TODOS QUE NECESSITAM ANDAR PELAS RUAS DE CADEIRA DE RODAS, MULETAS OU GUIAS!

    Sendo assim, preciso partillhar com vcs a humilhaçao sofrida no Planetário da Gávea, aqui no Rio de Janeiro.

    Ontem o tempo estava bom para passeios diferenciados, resolvi levar o Paulinho no Planetário.

    Ao chegarmos lá, o taxi parou em frente ao Barzinho dentro do Planetario.
    Pra começar, nao tinha rampa, tive que fazer uma manobra com a cadeira de rodas para subir o meio fio.

    Detalhe importante que estou com tendinite!!!

    Um segurança, muito grosseiro, me disse q o horário de abertura seria as 14 e 30, eram 13 e 40.

    Disse também, de uma forma muito deselegante, que a entrada nao poderia ser por la, mas sim por dentro do parque.

    aproveitamos que nao tínhamos almoçado ainda, sentamos no barzinho para petiscar e fazer hora.

    Quase no horário informado pelo segurança, fechamos a conta e entramos pelo tal parque.

    O acesso é péssimo, sem conservaçao, de pedras portuguesas e, o restante do caminho, é feito em PARALELEPÍPEDOS, nao dando a minima condiçao de passar com a cadeira de rodas.

    Questionei dois funcionários da limpeza, que me disseram que eu poderia entrar pela rua lateral.

    Dei meia volta, empurrei novamente a cadeira por um bom pedaço, ate a saída, que só pode ser pela entrada do estacionamento, fiz toda a manobra para descer o meio fio, etc e tal. Pegamos a calçada.

    Ate a esquina da Rua Vice Governador Rubens Berardo, tinha uma ciclovia e fomos por ela. Ao entrar nessa rua, demos de cara com uma calçada horrivel, de pedras portuguesas, todas irregulares por causa das raizes das arvores que ficam bem no meio da calçada, sobrando um espaço minimo, todo destruído para passar sem cair do meio fio.

    Chegamos. depois de todo esse sacrifício, na entrada principal do Planetário.

    A funcionária, bastante educada, veio abrir o portao para passarmos.

    Perguntei onde seria a entrada de cadeiras de rodas e ela fez com a mao, que eu deveria seguir -uma subida – fazer a curva e pegar a rampa…. fazer o que né, mais um sacrifício…

    A partir do portao, outro caminho intransponÍvel para uma cadeira de rodas: PARALELEPíPEDOS novamente.

    Vi que nao conseguiria entrar ao menos na area externa do Planetario… comecei a me sentir bem constrangida e humilhada… me senti pior por ele, por imaginar o que poderia estar passando dentro dele…

    Estava realmente disposta a fazer mais esse esforço por ele, que a essa altura ja estava se sentindo péssimo , perguntei a moça de que era feita a rampa e entao fiquei desolada de verdade… pasmem, a rampa para subir com a cadeira de rodas TAMBEM É DE PARALELEPÍPEDOS! Impossível subir!

    Aí foi a gota d´água que faltava no meu copo…

    sabe,eu me recuso a levá-lo a lugares pagos ou nao, que nao nos ofereça conforto e acesso necessários para a condiçao “portador de necessidades especiais”.

    Falei com a moça, que é funcionaria da PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO – responsável pela administraçao do PLANETÁRIO – que achava tudo aquilo um absurdo e ela ficou super sem graça e comovida com a situaçao.

    Nao conseguimos entrar no PLANETARIO! frustraçao total, sentimento de impotência, sei lá, só sei que foi mais uma sensaçao ruim que senti. Bem ruim mesmo…

    Eu nao aguento mais o descaso com que os portadores de necessidades especiais sao tratados pela nossa Prefeitura.

    As calçadas estao horriveis, muitas delas nao oferecem ao menos uma rampa de acesso a rua, para podermos atravessar.

    Nao podemos mais pegar taxi nas BRS, temos que atravessar a rua, subir o meio fio, para quando o taxi parar, descer novamete o meio fio e, com a porta do carona aberta, NO MEIO DA PISTA, desmontar a cadeira de rodas para embarcar os deficientes no banco do carona.

    Alguém acha isso normal? Fácil?

    Resultado disso, tá dificil de encontrar um taxista que se proponha a embarcar um cadeirante.

    O que podemos fazer, quem pode nos ajudar, a quem recorrer??? Nao existe!

    Ficamos aqui a mercê das humilhaçoes.

    Já é tao dificil a condiçao de ser deficiente e ainda fazem de tudo para que os deficientes sinta-se piores do que ja se sentem.

    A maior deficiencia, em minha opiniao, nao é nao poder andar, falar ou enxergar, mas sim, nao poder participar de uma vida comum, de fazer programas comuns. O pior de tudo para um deficiente é a MORTE SOCIAL a que sao obrigados a ter!

    Obrigada, Cora.. bjs–Suely

  3. Ai, que povo chato, desreispeitando D. Nora , só por picuinhas tolas de clubes e times! Se fosse você, Cora, já teria mandado esse povo enxerido e mal educado catar coquinho…

    • Caramba, Patricia, não me lembro de ter visto o seu pedido, perdão! Tenho gostado dos novos Motorola, de modo geral: já testei uns três ou quatro que me deixaram bem impressionada. Qual foi o modelo que você comprou?

      • Oi, Cora, queira Deus que vc diga q fiz boa compra ; é o Motorola RAZR, é um “Z” meio esquisito, mas o povo da loja falava “REIZER”. Como só uso o celular pra tirar fotos e Internet, tá bom demais da conta, ele tem uns quinhentos e cinquenta aplicativos , sei lá, mas e a preguiça de ler e entender tudo? Bem queria q o cara da loja viesse junto, pra me explicar melhor, viu? Ele sabia direitinho. Mas é “com o andar da carroça que as abóboras se ajeitam ” , tô contando com isso!!

  4. É realmente uma tristeza, Cora. Aprendi a nadar no Mourisco antigo e nadei durante oito gloriosos anos nesta piscina do Botafogo, maravilhosa porque você respira para um lado vê o Corcovado, para o outro, o Pão de Açucar, inacreditável. Não havia nada melhor… Quando voltei, uns anos depois de ter parado e passado para o Flamengo – que, tristemente, também estava ou está ainda em franca decadência – fiquei arrasado. Vestiários inundados, decadentes, goteiras, salitre, piscina mal cuidada, funcionários sem receber, tudo péssimo, triste, relamente. É duro saber disso tudo. Não sei como um lugar que trata o seu patrimonio esportivo com esse descaso pode sediar uma olimpíada… Torço por sua mãe sereia vintage e por nós todos, cada vez mais órfão de tantas coisas boas que se perdem pelo mero desperdício, ganância e falta de respeito com a memória coletiva e pessoal. Abraço.

  5. Realmente a piscina do Botafogo ficou fechada por muito tempo para reparos, a do Guanbara não anda aquecida e nem tem chuveiro quente, mas essa não é questão principal e sim a falta de apoio ao esporte amador no país, incluisive com o fechamento, ou melhor, aterramento de várias piscinas Brasil afora e sua substituição por prédios. A tal piscina que nadamos no Maranhão, deve dar lugar a um novo condomínio, segundo informaram atletas locais. Outros informaram que o mesmo vem acontecendo em outros estados, como Piauí, Bahia, etc. Em Salvador, por exemplo, a maioria dos atletas tem que nadar no mar, pois parece que só há uma piscina disponível para a prática de natação competitiva. Aqui em Niterói, o Clube de Regatas Icaraí, é o único da cidade apto a sediar competiçôes e são as várias gerações de atletas que vem mantendo o nome do Clube e sua tradição nesses 117 anos de vida, no despertar do interesse e formação de novos atletas. Além disso sua equipe de natação master é conhecida nacional e internacionalmente,i com seus nadadores participando de TODAS as competiçoes organizadas pela FARJ e pela ABMN. Como a natação amadora no país não tem qualquer apoio, os atletas às vêzes deixam de participar de competições por falta de recursos… Só falta agora ficar também sem ter onde treinar diariamente. E estamos em época de efusivos discursos e preparativos para jogos olímpicos, com suposto apoio para as práticas desportivas, mas na área da natação no país, o que vemos é o fechamento de várias piscinas, e a total falta de apoio a equipes com atletas de destaque no cenário nacional e internacional, como é a equipe de natação master do Clube de Regatas Icaraí, que também tem goteiras e outros problemas, mas cujos atletas treinam diariamente e não querem deixar que sua chama seja apagada. Não podemos deixar o Clube ser fechado e vendido. Além disso, a cidade não suporta mais tantos espigões, com o trânsito cada vez mais caótico e sem muitas áreas verdes e de lazer.

    • Disse tudo Angela, a questão não é Botafogo, Guanabara, Vasco, Flamengo ou Fluminense, mas sim a falta de apoio ao esporte amador no país…

  6. Cora, apesar dos defensores do Botafogo terem se manifestado e fico feliz em saber que tudo está em ordem por lá, é uma vergonha sem tamanho não apenas a cidade que abrigará as Olimpíadas, mas o país que abrigará os jogos ser tratado desta forma.
    Na França, cidades relativamente pequenas têm centro aquático público com piscinas aquecidas. Todas as crianças tem aulas de natação gratuitas como parte do currículo escolar. Ok, estamos falando da França. Agora o governo brasileiro está “se achando” por ser a sexta maior economia do mundo e nossos progressos nas áreas de educação, cultura, esportes para não falar da saúde, são pífios. Infelizmente somos uma piada…de péssimo gosto.

  7. Um absurdo que a prefeitura permita uma coisa destas. Mas quando a gente vê o descaso Niteroi tem com o patrimonio da cidade. De uns 5 anos pra ca, o Praia Clube, vizinho do Regatas Icarai, virou cafofo de luxo (o clube, que tinha uma sede dos anos 50, bem de frente pra praia virou prédio de luxo). A população reclamou um pouquinho, mas o espigáo acabou subindo.

    O cinema Icarai, bem em frente a praia, quase virou condominio, a população pediu o tombamento (tombamento mesmo, pq e agora o prédio está lá, fechado, às moscas, servindo de foco de mosquitos e abrigo para moradores de rua…e sem reparos, o prédio vai acabar caindo).

    A mesma coisa para os terrenos da rede ferroviaria, no alto da estrada Froes, onde um belo dia pipocaram prédios de alto luxo.

    Cora se esqueceu de dizer que a piscina do Icarai abriga a equipe de recordistas mundiais na categoria master 320…

  8. Sra Cora, na qualidade de sócia do Botafogo, informo que sua mãe perdeu a oportunidade de nadar em General Severiano, onde existem três piscinas, sendo uma semi-olímpica e aquecida e bons vestiários reformados, enquanto não eram concluídos os reparos no complexo aquático do Mourisco Mar, reparos estes já concluídos há, pelos menos dez dias, conforme se constata, inclusive, por matéria veiculada, hoje, no site Globoesporte.com. O complexo aquático do Botafogo no Mourisco Mar é o mais moderno do Rio de Janeiro e talvez do Brasil, capaz de sediar competições internacionais, contando com uma piscina olímpica, uma semi -olímpica que serve para aquecimento e relaxamento dos atletas, sala de musculação e fisioterapia, vestiários, arquibancada, bar, churrasqueira e a vista maravilhosa da Baía de Guanabara.A lamentar, portanto, na sua crônica de hoje as frases “Porque as coisas lá também estão mal paradas” e “Parece que agora começaram a encher para fazer novos testes, vamos ver. Mas a situação de quem quer nadar não anda nada fácil.” Demonstram desinformação e falta de respeito para com o Botafogo ,cujas instalações são comparadas às de outras instituições, estas sim, merecedoras de lamentações e pedido de socorro, caso o estado das mesmas ora descrito seja verídico.

    • Maria Lilia, que bom que as coisas por lá estao ótimas. Antes assim! Mas parece que a piscina de fato esteve indisponível por um bom tempo, não é? Até dez dias atrás, pelo que se pode ver pela sua carta. E tal situação perdurou durante um bom tempo (ninguém está dizendo que houve culpa ou descaso. Houve vazamento, isso sim!). Acho que mamãe absolutamente não teve qualquer intenção de desrespeitar o clube ou seus sócios, muito antes pelo contrário. Aliás, denunciar as más condições gerais dos clubes do Rio também não é qualquer desrespeito, mas sim constatação. Pena que ao invés de procurar soluções, muitos já se sentem pessoalmente atingidos. Ficamos felizes de saber que pelo menos um clube já está 100%! E agradecemos o convite para a mamãe treinar no Botafogo, mas como ela não é sócia, creio que isso não é possível, não é?

      • Claro que é possível, meu marido e meu filho nadam lá há anos, os horários são bem flexíveis (se não me engano de 08h às 20h) e a mensalidade por volta de 70/80 reais para não sócios. Peça à mamãe para verificar pois acho que ela ficará feliz com o ambiente agradável que encontrará.

        (fiquei apenas intrigada com suas respostas abaixo de que fluminense e gávea são distantes ou fora de mão, já que no texto são citadas as piscinas de Icaraí e Maria Lenk)

        • Mamãe — que, como a família quase toda, não tem carro — compete pelo Icaraí, que tem a melhor equipe Masters do Rio, talvez do Brasil, mas é claro que não treina lá; e foi ao Maria Lenk para uma competição. Ela se preocupa com as piscinas de modo geral, porque tem visto o sucateamento de parques aquáticos pelo Brasil inteiro.

        • Lourdes
          Obrigada pela atenção . Ampliando um pouco a resposta da Cora: mamãe já tentou nadar no Botafogo, que é pertinho de nós. Mas os 70/80 reais são para 2 dias por semana, parece, e mesmo assim com horário fixo. Sendo uma pessoa já não tão jovem, ela não consegue se comprometer a nadar sempre na mesma hora. Tem dias em que acorda mais cedo, outros em que acorda mais tarde. E julgamos sensato que ela faça o que seu corpo manda, até porque ele tem sido ótimo conselheiro! No Guanabara (apesar do estado deplorável do Clube como um todo) ela pode nadar na hora que quiser, quantas vezes quiser. E pode ir a pé, o que seria impossível no Fluminense ou no Flamengo. Mas ela conhece bem a piscina de todos os clubes, pois participa das competições masters não só no Rio como no Brasil todo.

          • PS: Mamãe não precisa que a gente pague taxi para ela. Ela paga as próprias contas. Mas se ela tiver que enfrentar transito todos os dias para ir nadar, vai acabar não indo. Ela gosta de ser independente e ir a pé. É só isso. Não é complicado.

  9. Admirador de automobilismo como eu sou, saber que o autódromo de Rio de Janeiro foi mutilado para construção do Maria Lenk e Arena do Pan, e que tudo foi uma enganação é realmente revoltante. No país de Emerson Fittipaldi, Ayrton Senna, Nelson Piquet ( que da nome ao autódromo) Djan Madruga, Rômulo Arantes, Xuxa….ver os esportes que nos deram campeões serem tratados dessa forma, fico achando que todo esse investimento para Copa e Olimpíada é apenas alguma forma de inescrupulosos ganharem dinheiro

  10. Prezada, o Botafogo possui as melhores instalações de esportes aquáticos do Rio de Janeiro e sem dúvida o mais bonito também. Falar do período em que passou por obras é bem inadequado. As obras já terminaram e inclusive o Mourisco está sediando uma grande competição. Detalhe, as duas piscinas são aquecidas e funcionam. Pesquise mais antes de divulgar.

  11. Pior que circo, pois eles montam e desmontam o que é deles mesmos. E as piscinas?
    Não tem jeito mesmo. Que tristeza essa nossa terra…

  12. Sra. Cora, devo dizer que sua mamãe está totalmente desinformada sobre a piscina do BOTAFOGO no Mourisco !
    A obra já terminou, e ontem inclusive houve uma partida entre o Fluminense e BOTAFOGO pela Taça Brasil de Polo Aquático Masculino. A sra. há de convir que se está acontecendo um campeonato desse porte no Mourisco, no mínimo a piscina tem que está perfeita …
    Ah, avisa também pra sua desinformada mamãe, que temos também a Sede de General Severiano, que tem três piscinas, sendo uma semi-olímpica !
    Enfim, peça a sua mamãe pra se informar melhor, quando falar do BOTAFOGO !

          • Prezada Cora, isto está virando briguinha de maternal, disputa alvinegros x rubronegros no recreio, com mamães das duas partes sendo chamadas para resolver na coordenação (sua mamãe tem mais o que fazer: achar a bendita piscina!)
            Me permita analisar isenta de paixões futebolísticas: a mágoa dos alvos pode ter sido pela inclusão do complexo moderno que possuem hoje, ou pela exclusão dos problemas na sede dos rubros, até pouco tempo atrás, onde alunos saíam da natação por abandono da sede, acho que tudo já solucionado/melhorado na atual direção.
            OU porque todos seus leitores, mesmo que esporádicos, sabem por quem você torce.
            OU porque o texto está com algumas falhas nas informações onde a tal churrascaria chique é parceira e não inquilina inimiga.
            OU a culpa também é um pouco sua por ter dado respostas magoadas (não vejo agressividade de nenhum lado).
            Enfim, virou picuinha um bom texto onde deveríamos refletir e cobrar por instalações decentes de piscinas, quadras poliesportivas, pistas de atletismo para quem precisa e não pode pagar, espalhados pela cidade e pelo pais afora, incentivando as nossas crianças ao esporte.
            Sua mamãe?? Ah, sua mamãe pode nadar onde quiser, se for distante, paga um taxi para ela. Sem encrenca, por favor.
            abraço

          • Ainda bem que sou de Sampa e não torço para agremiação alguma do Rio. Nesse item, penso que Sampa está bem, pois, além de clubes de categoria como o Pinheiros (cujos associados pagam mensalidades caríssimas), além de outros mais modestos, há muitos parques esportivos do Sesc, para todos os interessados e todos os gostos. Fui uma vez, faz tempo e naquela época era uma ma-ra-vi-lha. Não sei se continua assim. Os comerciários pagavam uma ninharia por qualquer atividade e, inclusive, além de todas as regalias, como várias piscinas, os clubes tinham salas de cinema, bibliotecas e três restaurantes, a preços bem acessíveis.
            Mas este assunto é mais complexo do que se imagina, pois o país inteiro está deteriorado. Isto aqui virou uma selva e salve-se quem puder.
            Corramos antes que ele se acabe e, nós, junto com ele…

  13. então é tudo só cenário? armado para o Pan e desarmado em seguida? vai ser o mesmo para as Olimpíadas? aquele papo de que os investimentos ficarão para sempre revertendo em benefício da população, então, é só mentira de político que o povo aplaude? puxa vida…

    sorte do clube que tem os lobos da exploração imobiliária em seus calcanhares. pode, de repente, ter a sorte de um grupo de sócios capaz de argumentar: “por que não investem no clube, em vez de destruí-lo, inserindo-o como gigantesca área de lazer para seus condôminos?” pode, numa dessas, salvar-se… ainda que seja só para umas fotos e poucas festas.

    triste.

  14. Ah Cora! Decadência de tudo! Que tristeza. Imagina a senhora sua mãezinha tendo que assistir a isso tudo.
    Eu que sou nascida e criada em Niterói e um pouco mais nova, vejo essa degradação com revolta, pois Niterói era o centro das atrações maravilhosas nos esportes.
    Acabaram as poucas opções das piscinas aquecidas e cobertas aqui na Região Oceânica.
    Tudo quebrando, mal cuidado, um relaxamento total …………….
    Seria o fim dos bons tempos?
    Triste, muito triste!
    Beijos.

  15. Oi Cora,
    tem o clube militar na jardim botânico e uma outra opção bem bacana, pelo visual, é o clube 17 (da cedae), no alto da pacheco leão.

  16. Encara aí, o Rio recebendo as Olim piadas.
    Eu não contava ter que participar de mutirão de obra pra ajudar a cidade a não passar vergonha!
    Gente determinada feito D Nora merece mais apoio e respeito. E os nossos jovens mais incentivo. Ô país pouca prática esse nosso!

  17. Cara Cora…. Sei bem o que voce esta falando. Frequentei muito o Guanabars. Meus pais nadavam diariamente la. Eu ia porque eles tb me obrigavam a nadar junto com eles. Papai, inclusive, morreu no Guanabara. Teve um aneurisma cerebral no chuveiro apos nadar os 1500 m diarios que ele nadava la. O clube vem decaindo ha varios anos. Eh uma pena. A piscina era rapida, e esse fsto foi inclusive usado pelo Silvio Fiolo , ao pedir que fosse contado tempo para seu recorde mundial de 100m de peito.

    Eh uma pena que tanto asicinas dp Guanabara quanto a do Botafogo estejam mais pra la do que pra ca….

  18. E o Fluminense? Fica muito contra-mão para ela treinar? É um espetáculo, pelo que vi. E conheço quem nade lá.
    Aqui na Marquês de Abrantes, também, passando a Bennet, no local da antiga churrascaria Recreio, tem um conjunto de piscinas para natação, com raia olímpica- paga-se como qualquer academia, mas é muito confortável.
    Isso não resolve os outros problemas, claro… Mas, fica a sugestão.

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s