Na hora do almoço

— Vocês já repararam que desde que a Dilma assumiu ela não faz outra coisa a não ser demitir ministro?

— Não concordo! Desde que a Dilma assumiu, ela não faz outra coisa a não ser tentar impedir a queda de ministros. Todos caem de podres, depois de escândalos que em qualquer lugar civilizado do mundo levariam gente para a cadeia no ato…

— É verdade. No outro dia mesmo ela fez questão de dizer que não tinha nada a ver com isso, e que o Palocci saiu porque quis. Quem escreve bem sobre isso é o Noblat, a tinturaria da minha alma.

— Como assim?

— Leio ele e fico de alma lavada, é isso.

— Ah. Eu também!

— Tá bom, me expressei mal. O que eu queria mesmo dizer era o seguinte: a impressão que eu tenho é que a Dilma não faz nada a não ser equilibrar ministro e administrar escândalo. Não tenho notícia dela fazendo qualquer outra coisa, vocês têm?

— Nossa, que silêncio eloqüente! Alguém quer um pouco de vinho? É um argentino muito decente, vai bem com essa massinha.

— Viva, que alívio! Você disse que o vinho vai bem!

— Mas vai mesmo.

— Não foi por isso que eu comemorei, tenho certeza de que o vinho é ótimo. É porque não agüento mais gente que “harmoniza” vinho. Ninguém mais diz que um vinho combina com alguma coisa, todo mundo diz que o vinho harmoniza com isso ou com aquilo.

— É mesmo! Me harmoniza um pouco do vinho aí, vai…

— Também quero.

— Eu quero um pouco de água, por favor.

— Já eu quero um emprego de consultoria.

— Eu também!

— E eu!

— E quem não quer?

— É incrível a cara de pau deles, não é não?! Dois milhões agora são uma quantia normal, corriqueira… Levei 35 anos para comprar o meu apartamento e, com toda a valorização dos últimos tempos, ele dificilmente chega a um milhão. Já o senhor Pimentel levanta dois milhões só assim, em dois anos.

— Ah, mas ele já explicou que não foi bem isso. Que, tirando o imposto de renda, foi só um milhão e uns quebrados. E que, dividindo esse milhão e uns quebrados pelos tais dois anos, dá pouco mais de cinqüenta mil por mês.

— Salário considerado perfeitamente normal por todos eles!

— E ninguém comenta que seriam cinquenta mil já livres de imposto… Quanto isso daria na vida real? Oitenta mil?

— Em que mundo eles vivem?!

— É por isso que eu digo, quero uma consultoria básica para sobreviver.

— Eu quero um pouco mais de salada. Obrigado.

— Sabe o que eu acho mais preocupante? É que esta impoluta figura achou que compensava trocar um salário mensal de cinqüenta e tantos mil livres, por mês, por um cargo de ministro.  Que paga…

— Valei-me São Google! Taqui. Exatamente R$ 26.723,13. Brutos. Descontados os impostos, cerca de um terço do que pagam as consultorias.

— Deve ser muito bom um cargo de ministro para levar os pimentéis da vida a fazerem todo esse sacrifício. Dá para desconfiar de muita coisa.

— Você é uma criatura perversa que não sabe apreciar o que os homens públicos fazem pelo bem da Pátria…

— Isso mesmo. O coitado abre mão de um salário milionário para servir ao país, e ainda é obrigado a sofrer com a perseguição da imprensa, que teima em fazer perguntas desagradáveis.

— Pois eu tenho uma pergunta muito agradável. Quem quer sorvete?

— Uhuuuuuu!!!

— Por falar em sorvete, e os preços, hein?

— O Brasil enlouqueceu. Virou o país mais caro do mundo.

— Estou chocada com o preço do taxi. Rodava Bombaim inteira e pagava o equivalente a dez reais, aqui vou na esquina e pago 20.

— Mas Bombaim não vale. O pior é quando a gente começa a se assustar com as comparações com Londres.

— Não. Pior ainda é quando a gente compara a qualidade do serviço que recebe lá e o que recebe aqui. Ontem fui tomar um suco e enfrentei uma fila ridícula, apesar das cinco pessoas que estavam atrás do balcão.

— Essa conversa não só é deprimente como vai longe…  Tenho que ir embora, ainda preciso escrever a coluna dessa quinta-feira.

— Sobre o que vai ser?

— Ainda não tenho certeza, mas talvez seja sobre um grupo de amigos que se encontra num almoço de fim de ano…  E tenho que arranjar um espacinho para recomendar aos leitores o livro do Mauro Ventura, “O espetáculo mais triste da terra”, que li em três dias de tão bom que é.

— É sobre o circo que pegou fogo em Niterói?

— Isso mesmo. O Mauro conseguiu fazer uma reportagem sensacional, que se lê de um fôlego só. É um livro imperdível, muito bem pesquisado e escrito.

— Já está anotado.

— Então é isso. Vou indo. Feliz Natal para vocês!

— Feliz Natal!

 

(O Globo, Segundo Caderno, 22.12.2011)

Anúncios

31 respostas em “Na hora do almoço

  1. http://www.youtube.com/watch_popup?v=7a-SVE-Vm3M&vq=medium

    Tempo de sonhar, de desejar Boas Festas, de desejar que toda correria e todo cansaço desses dias fizessem surgir sorrisos e surpresas nas festas…
    E todas as luzes desses dias acendessem corações e mentes e iluminassem não a bondade tola, mas a bondade pensada, a bondade que gera frutos, que gera subsistência, que gera honradez e aquele orgulho sadio de prover seu próprio sustento…
    E todas as fitas de todos dos presentes fizessem um imenso trançado de uma corda onde os que estivessem afundando pudessem agarrar, onde todos que desacreditassem em si mesmo pudessem segurar e recuperar sua fé no seu potencial criador e seguir em frente de cabeça erguida…
    E todos os papeis brilhantes de presentes formassem uma enorme colcha que abrigasse os homens quando necessário, quando a natureza fosse destruidora e os desprovesse de teto e ate mesmo chão…
    E todas as crianças sorrissem surpresas e encantadas não com os presentes, mas com a delicadeza do gesto de presentear…
    E todos os corais cantassem e que todos ouvissem e seguissem as mensagens das melodias…
    E que todos, todos mesmo, pudessem comemorar não uma festa religiosa, mas uma festa da humanidade inteira…
    Ah, é tempo de desejar…
    Ah, é Natal, me deixar sonhar..

  2. Tb amei o livro sobre o circo. Minha mãe sempre comentava sobre essa tragédia, quando eu era criança e com isso já li muito sobre o assunto. Há algum tempo saiu uma reportagem ótima sobre o assunto na revista História da Biblioteca Nacional.

    Gosto da Dilma. Acho ela sincera, forte e nem um pouco dissimulada. Pra mim é uma grande mulher.

    E como “então é Natal”, que todos aqui tenham um excelente Natal. Desconfio muito de quem não gosta dessa época. Independente das tristezas que porventura tenha vivido, acho que (quase ) nada é motivo para não gostar de celebrar o Natal. Geralmente as pessoas q conheço e não gostam dessa data tiveram uma infância triste, com problemas.Graças a Deus, não me encaixo nessa situação.

    Cora, que você tenha um lindo Natal!

    • Não li o livro, porém conheço a história desde pequenina.
      Depois que li livros sobre kardecismo, entendi a razão do fato ocorrido.
      Em Sampa, há a tragédia sobre o Cine Oberdan, que ficava no Brás.
      São locais diferentes, porém com a mesma, digamos, sina.
      Pra mim, tudo isso faz sentido.

  3. e com A Voz que adentra e preenche o palco.
    fazer o que…dona Maria Bethania!
    vale a pena ver!
    timbre, vibratos, maturidade de palco.

    Feliz Natal!!

    ps: fica a saudade de Elis….

    • Monica, pra mim, a Elis é inigualável. Eu não gostava dela até que, um dia, tive de levar uma jovem (por obrigação) ao Tuca, onde ela, Elis, se apresentava. O teatro estava mais do que repleto e tivemos de sentar nas escadas.
      Conclusão: nunca mais perdi nenhuma apresentação, até que ela nos deixou.
      Tenho todas as músicas que ela cantava.
      Hoje, Maria Rita, se curvou perante a mãe e faz espetáculos com o repertório dela. Embora MR não goste (ou faz que não gosta) da comparação, ela é cópia da mãe, até no sorriso.
      Há algumas pessoas que me fazem chorar quando as (re)vejo: Elis, A. Senna e Tim Maia. Há outras, porém, fico por aqui.

      • oi Lilly!

        infelizmente não a assisti ao vivo.
        ela era meu referencial em termos de canto e interpretação.
        uma voz poderosa, musical, com dicção e divisão ritmica perfeita e um carisma único. isso sem falar da escolha de repertorio. sua parceria com Cesar era imbatível.
        considero um privilegio tê-la ouvido cantar em show.

        Feliz Natal Lilly!!

      • Monica,

        Quando fui assistir ao show da Elis, no espetáculo Falso Brilhante, no Teatro Bandeirantes, acho que ela havia brigado com o César e ficava encostada no piano dele e fazia caras e bocas. Ficou muito claro. Acho que ela até cantou melhor, com raiva! Adorei e muito. A plateia não se cansava de aplaudir. Emocionante, mesmo. Pra mim, ela é única.
        Feliz Natal e ano-novo pra você também.

      • só vim a assistir ao Cesar mais tarde, em um show com a Leny de Andrade.
        que músico meu Deus…que músico!
        não preciso dizer do álbum dele com a Nana Caymmi – Voz e Suor.
        aliás cheguei a assistir a Sueli Costa cantando esta música.

        caramba Lilly! vc assistiu Falso Brilhante??
        ok, foi em SP. e Saudades do Brasil e Trem Azul que foram no Rio??
        *suspiro*

        um abraço de Boas Festas Lilly!!
        bj’nhos natalinos 🙂

  4. Está muito perigoso viver. Penso que em qualquer lugar do mundo, porém aqui está mais.
    Que todos tenham um Natal e um ano-novo como gostam que eles sejam: com muita saúde e muito amor.
    Para melhorar o clima natalino, e o início desta estação em que entramos, acessem a página:

    Abraços a todos.

  5. Cora! Adorei! O paõzinho, aqulele nosso de cada dia, está custando 11,90 o kg nos supermercados Zona Sul e 9,90 o kg na padaria da esquina! E a gerentona tem n% de popularidade, segundo o IBOPE? Dá para entender o nosso povo? Pela “consultoria” sobre o preço do pão não cobrarei nada.

  6. precisamos dar um basta neste governo, mas como… Na Europa ou outro lugar qualquer o povo não é banana. Vejam o que foi feito na Tunisia, no Egito e na Libia. O povo sofreu mas tirou o ditador Feliz Natal Cora

  7. Beijo, corinha, adorei participar desse convescote, apesar das conclusões deprimentes a que todos chegamos. Ótimo Natal para todos nós, Ano Novo próspero com trabalho honesto também, e que nos livremos de todos os pimentéis, e dessa tralha inescrupulosa toda.
    vera

  8. Excelente e triste crônica, Cora. Entra ano, sai ano, e os nossos políticos não tomam vergonha na cara.
    Só me resta desejar Boas Festas a todos aqui do blog!
    Aqui o Mai Tai dá o recado!

  9. Cora, você escreveu a coluna na véspera? Que inveja!!!!! rsrsrsrs E por falar em trabalho, eu também quero ser consultor. De qualquer coisa, não sou nem um pouco exigente. E aceito uns trinta mil, sem impostos, né? 🙂

    Mas pedido de emprego à parte, um Feliz Natal a todos os amigos de blogtequim!

    • termos que antes só existiam na engenharia como projeto, gerenciamento, consultoria, agora estão por aí…rsrs
      sessenta mil com impostos, né!? 🙂
      pois ser PJ como engenheiro sai uma fortuna…rsr
      ah, isso sem falar que todo mundo virou empresário.

      Feliz Natal !!

  10. Felicidades a todos os frequentadores do blog, e também à dona do blog.

    Excelente texto Cora, fazendo coro com os que escreveram antes, penso como vocês. E ainda tem gente gritando porque os jornais não querem vender notícia velha, a saber, sobre as privatizações do governo FHC.

    Beijos.

  11. “emprego de consultoria” é ótimo!…rsr
    termos que antes só existiam na engenharia como projeto, gerencia agora estão banalizados no linguajar do povo.
    e muita esperteza correndo pelos bastidores…

    Boas Festas Cora ……………..e pessoas amigas do blog!!
    🙂 🙂

  12. tudo o que eu penso está aí… só faltou dizer que são todos socialistas. tanto os que ganham (declaradamente) r$50 mil, livres, por mês, quanto os que acham isso normal e razoável.

    []’s

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s