Por que a crônica de hoje não saiu

 

Em primeiro lugar, agradeço muito o carinho dos amigos e leitores que mandaram emails preocupados. Em segundo, peço desculpas por ter falhado.

Esclareço: escrevo a crônica na terça-feira. O Segundo Caderno fecha cedo; normalmente, mando a crônica durante a madrugada de quarta, para que esteja lá quando o pessoal da redação chega de manhã.

Terça-feira foi, exatamente, o dia do enterro da tia Eva. Eu vinha de uma batida esfolante desde o dia anterior, tendo tratado de burocracias, funerária e outros horrores; pedi aos colegas, portanto, que preenchessem o espaço com uma reportagem, e assim foi feito.

Eu não teria qualquer condição física ou emocional de escrever algo que prestasse.

Dizem que todo cronista previdente tem uma ou duas crônicas “frias” no computador para casos de necessidade. Se isso é verdade, acho que não conheço nenhum cronista previdente.Já tentei várias vezes escrever essa tal crônica-para-eventualidades, mas nunca consegui passar do primeiro parágrafo.

Não dá liga, soa artificial, fica esquisito.

Em tese, isso não faz sentido, porque na maior parte das vezes a crônica não tem nada a ver com a atualidade — ou, pelo menos, com a atualidade do noticiário. Mas a verdade é que há uma atualidade paralela, a da cabeça do cronista, que cobra a sincronia nem sempre evidente para quem lê.

Essa semana, escaldada com o choque de não ver a minha crônica no seu espaço habitual, vou tentar, pela enésima vez, inventar uma crônica-estepe.

Depois eu conto se consegui ou não.

44 respostas em “Por que a crônica de hoje não saiu

  1. Cora,
    Desculpe por chamá-la diretamente pelo nome, sem um prévio “Sra.”, tão cerimonioso. Gosto imensamente do que você escreve, como muitos, aliás. Toda quinta-feira de manhã, quando sento diante do amigo PC (favor não confundir com certos personagens), digo para mim mesmo: “Oba, hoje é dia da Cora”. Quinta-feira passada não foi. Mas você já explicou direitinho o motivo, muito justo. Aceite meus sentimentos. apesar de não conhecer seu ente querido, sinto por você. Sei que continuará a nos brindar com esses textos primorosos, falando dos seus, dos animais, das viagens, dos eletrônicos, etc.

  2. acho que não precisa de justificativa… vc tem mto crédito…

    Cora, desculpa falar disso agora mas, já usou o get glue? pedi os meus stickers… vamos ver qdo chega…

  3. Às vezes, a correria da gente é tanta que a gente vê, mas não olha e quer fazer, mas não dá.
    Paradoxalmente, aqui envio (mais uma vez) meus sentimentos pela perda do ente querido e parabenizo o ente aniversariante.
    Cora, como pra você escrever é fácil e jamais falta ou faltará assunto, sugiro uma crônica de algures. O nome já diz tudo. Você tira de letra – de A a Z.
    Abraços.

  4. Toda quinta a primeira coisa que faço quando pego o jornal é procurar a sua coluna. E quando não a encontrei já sabia que havia acontecido algo.
    Felizmente temos seu blog, há sempre algo interessante por aqui também.
    Força ai pra você!!!!
    Isso é a vida..

  5. Uma crônica estepe que eu julgo infalível e atemporal é você declarar seu amor pela famiglia gato e pelos bichos em geral (incluir a Capi – cadê ela????) é sucesso garantido!

  6. Guria não soube da morte e hoje achei que você tinha antecipado o Tibet…!
    beijinhos e liga…vamos malhar? A Fernanda está a postos.

  7. Xiiiiiiiiiiiii… pode deixar que eu me acostumo… sou um pouco atrapalhada para me acostumar com as novidades, mas depois que pego no tranco, vou acompanhando…
    Como é que eu coloco uma fotinho aí no ladinho??? vou acabar descobrindo… vamos ver depois de quanto tempo eu descubro… e as carinhas??? xiiiiiiiii…

  8. Então, como eu já havia escrito no FB, é tanta porcaria, desgraça, sacanagem que a gente lê no jornal todos os dias, que a gente fica esperando ansiosamente a sua coluna! Mas semana que vem já eatá quese aí!

  9. Meu primeiro pensamento ainda sonada hoje cedo foi: será que estou maluca e hoje não é 5a feira?! Confirmado o dia da semana impresso na orelha da página, me certifiquei de não estar sonhando. Minha cara nessa hora deve ter sido engraçada. Ainda bem que não tinha ninguém me observando…
    Tia Eva tá te devendo uma aparição onírica depois da qual você vai escrever uma crônica do outro mundo!
    Beijos felizes porque não, eu ainda não estou trocando ou esquecendo os dias da semana!
    Ufa!

  10. Saiu agora….e com a foto de hoje, tão adequada ao seu momento, imaginei o que tenha acontecido….um abraço

  11. Um beijo, corinha, força e palavras para a crônica – sugestão: usos e modos de fazer uma crônica estepe

  12. Só quem não gosta de “noitadas” e não mais tem parentes vivos pode se dar ao “luxo” de não manter um bom estoque de matérias-de-gaveta.
    É o mesmo como manter “insepultos” obituários de políticos que “adoramos” ver no inferno.

  13. Cora, como disse o Nelson, o crédito é a fundo perdido. Meu abraço pra você, com minha solidariedade. Não esquenta. Crônica tem qualquer dia – as suas fazem falta mas a gente sabe que virão. Beijo.

  14. Sua crônica estepe poderia ser sobre sua convivência com seu padrinho (ai, que inveja) Carlos Drummond de Andrade.

  15. Sinto muito, Cora, espero que vocês se recuperem sabendo que sua tia certamente está num mundo melhor.
    E valeu a crônica da não crônica…

  16. Muitos já devem ter dito isso, mas vou dizer também. A ideia das fotos mudando no alto da página foi excelente! Cada foto mais maravilhosa que a outra.
    A crônica sobre a crônica que não saiu, saiu tão boa quanto.
    Gi

  17. Cora,

    Lamento o ocorrido. Vida à morte, viagem meteórica. Contudo, gostaria de lhe dizer que aprecio e muioto o seu trabalho. Na verdade, sou fanático pelas suas colunas, independentemente do assunto sobre as quais versem. Viagem, Tecnologia, cotidiano, mas me encanto em particular quando você aborda questões relacionadas a defesa da causa animal. Confesso que sou um apaixonado, confesso, pela sua forma de redigir. Para mim, não tem preço. Em sendo assim, aqui do meu cantinho, permito-me sugerir-lhe um assunto para uma próxima coluna, ou seja, o recente incidente na festa do peão Boiadeiro ocorrida Barretos quando o peão quebrou literalmente o pescoço de um pobre bezerro. Isso PRECISA URGENTEMENTE ACABAR !!! BASTA DE ATROCIDADES !!! A IMPRENSA TEM QUE DAR VOZ AOS ANIMAIS, através de nós seres humanos que nos indignamos sobre esse VERDADEIRO ASSASSINATO patrocinado inclusive por várias empresas. Realmente esse mundo está cada vez pior. Um abração. L.Eduardo

  18. Cora, toda força do mundo pra vc nesse momento. A gente, que gosta e se identifica com suas palavras, espera o quanto for preciso pra ter você de volta! Um beijo grande, Isabella.

  19. Grande Cora! Não, não dá para ter crônicas de estepe. Ou melhor, dá para tentar escrever, mas perceba que ficma inacabadas lá pelo segundo parágrafo.
    Beijão e tomara que tudo corra certo. Marli Gonçalves

Diga lá!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s